Imagem segurando a cruz

Religiosa é decapitada na República Centro Africana

A irmã Inês Nieves Sancho, apesar de sua idade, quis continuar sua missão em Nola, onde dava aulas de costura para as meninas. E foi justamente para um dos salões do local onde ela costumava ensinar as jovens a costurar e aprender um ofício, que ela foi levada por seus assassinos.

Um crime bárbaro

Não é de hoje que a violência contra a vida consagrada no continente africano salta aos olhos do mundo. Segundo dados oficiais da Agenzia Fidei só em 2019 (em 5 meses), foram sete os sacerdotes mortos.

Infelizmente a intolerância fez suas vítimas. Na última segunda-feira (20/05), uma religiosa espanhola de 77 anos foi cruelmente assassinada. Inês Nieves Sancho era religiosa das Filhas de Jesus.

Irmã Inês-Centro Africana.

O Papa Francisco lamentou sua morte na Audiência Geral desta quarta-feira (22/05).

“Gostaria de recordar hoje com vocês da Irmã Inés Nieves Sancho, de 77 anos, há decênios educadora de jovens pobres, barbaramente assassinada na República Centro-Africana, justamente no local onde ensinava as jovens a costurar. Mais uma mulher que dá a vida por Jesus no serviço aos pobres. Rezemos em silêncio”.

O bispo Dom Juan José Aguirre disse não ter ideia dos motivos deste ato tão bárbaro que aconteceu na madrugada de 20 de maio no povoado de Nola, próximo a Berberati, sudoeste da República Centro-Africana, fronteira com Camarões.

Sacrifícios rituais?

As primeiras informações divulgadas indicavam que a religiosa havia sido decapitada e partes de seu corpo teriam sido levadas pelos assassinos para sacrifícios rituais.

Sabemos que “nas áreas da República Centro-Africana, na fronteira com Camarões, há camaroneses que praticam assassinatos rituais para extrair órgãos para serem usados em ritos propiciatórios, para obter sorte na busca de diamantes, uma das riquezas da região”, disse Dom Aguirre, reiterando que“aqui em Bangassou isso não acontece“.

A irmã Inês Nieves Sancho, apesar de sua idade, quis continuar sua missão em Nola, onde dava aulas de costura para as meninas. E foi justamente para um dos salões do local onde ela costumava ensinar as jovens a costurar e aprender um ofício, que ela foi levada por seus assassinos para ser morta, após ter sido tirada de seu quarto.

Com informações de Vatican News

<

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password