Casal anda de mãos dadas por um caminho de árvores

Namorar para casar – Tempo de fazer escolhas definitivas

Só se casa quem namora, e só namora quem quer se casar. É isso aí. Não tem como falarmos de casamento sem falar de namoro, ou vice e versa.

Sacramento banalizado

Há tempos que as coisas do mundo querem tirar a beleza do matrimônio, falando que as pessoas não precisam namorar “como antigamente”, e o pior, que não precisam se casar como um compromisso definitivo. Em tempos de relativismo, pensar no “para sempre” se torna um desafio e tanto!

Porém, a Palavra do Senhor é muito clara: “Por isso, deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, e serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu não o separe o homem” (Mc 10, 7-9).

Cristo elevou o casamento à condição de Sacramento. Nesta passagem, Ele deixa explícito que naturalmente o homem se sente chamado a se casar, mas, somente quem quer formar uma família segundo a vontade de Deus transforma essa união em sacramento.

Passo a passo

A construção do casamento começa no namoro. É nessa fase que os dois precisam “acertar os ponteiros” para caminharem na mesma direção e amadurecer a relação.

Para isso, é necessário muito diálogo, pois é aí que se compartilham os sonhos, que se dão a conhecer profundamente, que mostram quem são (com seus defeitos, mas também com seus dons e virtudes).

Também é muito importante conversarem sobre sua fé, sobre finanças, e claro, acima de tudo, que tenham o desejo de fazer o outro feliz e ajudá-lo no caminho de santidade.

Por isso, sejam amigos, se divirtam, deem muitas risadas, rezem juntos, partilhem, se permitam amar e ser amados!

Questionado sobre o que é o matrimônio, Papa Francisco responde de forma belíssima: “Dois jovens que escolheram e decidiram, com alegria e coragem, formar uma família. É preciso ter coragem para formar uma família”.

O namoro nada mais é que um tempo de se preparar para poder viver aquilo que é o sonho de Deus na sua vida e na sua história; é preciso ter coragem para se abandonar nos braços e desejos do Senhor!

Saiba mais: Namoro santo é possível?

O Casamento é uma DECISÃO

Para decidir, precisamos viver e para viver, precisamos fazer escolhas. Eu não disse escolhas provisórias, eu disse DEFINITIVAS.

Casar é, então, tomar uma DECISÃO DEFINITIVA acerca daquilo que Deus quer de mim e da pessoa que Ele me confiou.

Não podemos ter medo e precisamos tomar algumas decisões definitivas em nossas vidas.

Grande parte delas está atrelada aos futuros esposos, porém, as maiores estão atreladas a nós mesmos enquanto indivíduos. Por isso, a preparação é importantíssima.

Caminho de crescimento pessoal

É necessário fazer um caminho que começa com nosso crescimento espiritual individual. Primeiro, viver em uma total comunhão com Deus, que é Autor de toda a vida, dono da minha história e meu Redentor.

Preciso criar um coração que esteja apto em receber as bênçãos de Deus e ser íntimo Dele, para poder ouvir e saber se esse é o caminho que devo seguir. Viver uma vida de oração bem estruturada é a chave de sucesso para quem busca fazer a vontade de Deus.

Cultivar boas amizades

Encontre outro casal que te ajude neste processo, um casal que já viva aquilo que você quer viver, que seja um exemplo para você.

Para nós (casados há pouco tempo), isso é de extrema importância e grande valia, pois, contemplando no outro aquilo que quero viver o resto da vida, nos ajuda a fazer escolhas verdadeiras.

Por fim, se refaça. Seja a sua melhor versão hoje! Livre-se de uma vez de suas más escolhas, de sua má índole, de seus “pecados de estimação”, pois não podemos começar algo novo com as coisas velhas, é preciso dar o seu melhor para o outro, isso é amar verdadeiramente.

Nos casamos em meio à pandemia, sem nossos amigos, nossos pais, sem nossa família.

Se não tivéssemos vivido no nosso namoro essas propostas, não conseguiríamos dizer nosso “sim” um ao outro, pois, teríamos incertezas, medos e não entenderíamos que o mais importante no sacramento é a benção que recebemos, como disse certa vez Papa Francisco:

“Os nossos pais, avós e bisavós se casaram em condições muito piores do que a nossa. Alguns em tempo de guerra ou depois da guerra, e outros imigraram, como os meus pais. Onde encontraram a força? Na certeza de que o Senhor estava com eles, que a família é abençoada por Deus com o Sacramento do Matrimônio!”.

 Paulo Henrique e Tati Gava, missionários da Aliança de Misericórdia

<

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password