Namoro: dois aprendendo a ser um

De mãos dadas: “mais valem dois que um só” (Ecl 4, 9)

Não estou mais sozinho

Diante das peculiaridades do relacionamento, o namoro é visto pelo cristão como um período de conhecimento do outro e como um tempo de aprendizagem, no qual Deus cria as condições concretas para uma aliança eterna, sólida, destinada a durar.

“Não subestimemos a importância desta aprendizagem: é um compromisso bom, e o próprio amor o exige, porque não é apenas uma felicidade despreocupada, uma emoção encantada…” diz o Papa Francisco.

Percebe-se que os jovens influenciados pela cultura do “free life”, “vida livre”, buscam cada vez menos um relacionamento com compromisso. O “da hora” é disputar a quantidade de pessoas com que “ficam”, se esquecendo da qualidade de uma vida a dois.

O importante é só prazer?

A busca pelo prazer rápido, esboçado pelas propagandas, filmes, festas, induzem os jovens à procura de alegrias momentâneas, e já não se tem tempo para conhecer o outro, seus defeitos, suas características, seus “tics” e “tocs”, preocupações, sonhos.

Retratado no filme “Click”, o personagem principal tendo um controle remoto mágico consegue decidir quais situações vivenciar em sua vida. Com isso, ele pula certas situações que não acha tão importante.

Contudo, no final, ele quebra a cara e vê que era preciso ter vivido cada momento, pois tudo faz parte de um caminho onde etapas não devem ser puladas.

Há algo difícil nos relacionamentos de hoje. Na maioria das vezes, tentam descobrir qual será a “recompensa” por aquele relacionamento assumido: talvez pela beleza física, pela profissão, pelo dinheiro que o outro tem, e acaba ficando por último aquilo que realmente vale a pena: o que um sente pelo outro.

Um tempo de crescimento

O namoro em Deus ultrapassa essa curiosidade, superficial e simplista, na forma de conhecer o outro, indo ao encontro do autoconhecimento à partir das partilhas de vida.

É um tempo de crescimento, onde se identificam os próprios defeitos, limitações e também descoberta do que é possível ser mudado, o que agrada ao coração e principalmente a Deus.

Dicas para um namoro santo:

1- Estabelecer um relacionamento de confiança, liberdade e fidelidade.
2- Trilhar juntos um caminho de conhecimento de si e do outro.
3- Buscar juntos à Vontade de Deus por uma vida de oração, escuta e discernimento.
A capacidade de amar se encontra na personalidade madura, aquela que está livre dos sentimentos de dependência, de carência e da necessidade de explorar o outro. No amor maduro existe cuidado, responsabilidade, respeito e reconhecimento.

Testemunho de um casal do Movimento – Nathalia Isa e José Vitor.

“No nosso caminho de namoro descobrimos a cada dia como é verdade que “mais valem dois que um só” (Ecle 4, 9). Assim, juntos, se torna mais leve enfrentar os desafios da vida de santidade, conhecer as próprias misérias e ordenar nossos sonhos para a confiança na providência de Deus”.

Mariah Clara – Missionária de Vida da Aliança de Misericórdia

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password