cartas unidas por elástico

Missionários escrevem para jovens da Fundação CASA


Neste tempo de quaresma e Páscoa, estamos vivendo como Carisma uma experiência especial de evangelização, uma novidade do Espírito! O Senhor tem inspirado nossos corações para, de novas formas, chegar aos que estão à espera de Sua Palavra e de Sua visita.

Uma inspiração

Muitas vidas estão sendo renovadas através das LIVES, através das idas às ruas com caminhão de som, para que as pessoas pudessem receber bênçãos e participarem de alguma forma do tríduo pascal, dentre outras iniciativas.

Em uma noite, uma das nossas missionárias sentiu Jesus dizer: “Eu quero entrar na Fundação CASA. Vão lá por mim!”. E então ela disse a Ele em seu interior: “Não podemos entrar lá, não podemos nem sair de casa. Mas se está pedindo, me mostra como”. Então ela acordou pela manhã com uma inspiração: podemos escrever CARTAS!

Jesus tinha indicado a ela escrever como pregações, de forma muito pessoal e com muito amor, como se conhecêssemos aquela pessoa para quem escreveríamos.

Com a força do Carisma

Então, os missionários foram motivados a fazer isso, e a experiência superou a expectativa. Aquela iniciativa nova que foi suscitada também estava movendo os próprios missionários, para se lembrarem da força do nosso Carisma de Misericórdia, que não poderíamos parar nas dificuldades da pandemia. Deus quer continuar tocando os corações!

“Eu pedi a Jesus, na noite anterior, pra Ele me mostrar como eu poderia estar com as pessoas que mais precisam, em especial… e Ele me respondeu com essa iniciativa que nos foi proposta, de escrever as cartas para os meninos [da Fundação Casa]”. *

“Eu era da evangelização na Fundação CASA, e sinto saudade de ir lá porque amo muito eles e me preocupo. Fiquei feliz com o convite, pois sentia que era uma oportunidade de estar lá. Deus ama muito esses meninos! Deus espera cada um deles… como foi bom poder escrever e me colocar junto”. *

Onde só Deus pode chegar

O Amor Misericordioso se fez expressão através de cartas de um Deus apaixonado para cada um daqueles adolescentes. Graças ao “SIM” de muitos missionários, pudemos entrar na Fundação CASA, como Paulo cuidava de seu povo!

Foi a visita de Jesus Ressuscitado onde as LIVES não podem chegar! São Paulo costumava escrever cartas, na impossibilidade de pessoalmente encontrar as comunidades que estavam distantes. E foram tantas que se tornaram a maior parte do Novo Testamento que lemos hoje.

E as cartas então foram escritas, de forma bem pessoal, com palavras de renovo e ânimo, trechos da Palavra de Deus e em espírito de oração. Alguns missionários receberam revelações pessoais, sentiram nomes dos jovens e podiam perceber, enquanto escreviam, o que Deus queria falar àquela pessoa.

Na hora da Paixão

“Escolhi escrever as cartas na presença de Jesus na Eucaristia… sentia que à medida com que eu escrevia era como se fosse Jesus mesmo escrevendo pra eles…”*

“As palavras fluíam… não precisava pensar muito. Quando eu via já não cabia mais nada no papel. Deus queria mesmo falar com eles!”*

Depois de muitas burocracias superadas para que as cartas chegassem, fomos liberados para levá-las na Sexta-Feira da Paixão pela manhã. Este era exatamente, no relógio da Paixão de Cristo, o horário em que Jesus estava preso, aguardando o julgamento. Estávamos visitando Jesus preso! E Jesus os visitava assim, na solidão que vivem, com os medos e a saudade que sentem.

“Enquanto eu escrevia, Deus me moveu de compaixão… sentia o amor que Jesus tem por aqueles jovens…Eu queria ver as expressões deles, estar lá quando eles recebessem…pra contemplar o encontro das palavras de Jesus com o coração deles!”*

Carta de Cristo

Uma pessoa que mora em outra cidade, no dia em que as cartas foram entregues, mandou uma mensagem para os missionários dizendo que sentia uma Palavra: Sois uma carta de Cristo, entregue ao nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito de Deus Vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, nos corações”. (II Cor 3,3)

Soubemos que, graças a Deus, essas cartas foram entregues nas mãos dos jovens de 3 unidades que costumamos evangelizar no jantar de Páscoa. Foram 150 cartas entregues. Acreditamos que os frutos dessa missão não poderemos ver ou colher. Mas Deus, em Sua infinita bondade, os colherá no Céu!

Nosso desejo é o de torná-lo mais amado! E que cada coração que nos foi confiado encontre-O em seu interior e viva com Ele essa vida aqui. Jesus quis encontrá-los assim e nos colocamos à serviço. E com certeza está suscitando novas iniciativas: escutemos e façamos o que Ele diz!

Não podemos parar! Deus está inspirando muitos meios para chegarmos aos corações!

* Testemunho de alguns missionários que participaram da iniciativa, escrevendo essas cartas aos jovens que estão na Fundação CASA.

<

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password