Pessoas em Marcha pela Vida

Marcha pela Vida: multidão supera a tempestade e passa mensagem de esperança

Os organizadores calculam que cerca de 15 mil pessoas marcharam pela vida em São Paulo.

Perseverança em meio à tempestade

“Assim que a marcha começou às 16h, começou também, uma chuva fortíssima! O que não impediu que um povo corajoso continuasse marchando pela vida” – relata Danilo, um dos organizadores da Marcha pela Vida que marcou a cidade de São Paulo na tarde do dia 30 de setembro.

brasileira cantando hino e pela vida

Apoiando o Movimento latino-americano “Salvemos as duas vidas”, a manifestação popular que reuniu cerca de quinze mil pessoas, caminhou com o lenço azul no pescoço característico desse Movimento, saindo desde a Igreja Imaculada Conceição (nas proximidades da estação Brigadeiro do metrô) até a Praça da Sé.

“Foi emocionante ver bebês, crianças, jovens, adultos e idosos lutando pelas 2 vidas debaixo da chuva!!”. (Ana Paula)

No caminho diversos grupos de diferentes crenças e setores da sociedade se manifestaram pacificamente, com enorme alegria e disposição, apesar da tempestade e das dificuldades.

Nos cartazes se podia ler pedidos para que o Supremo Tribunal respeite a democracia e para que fossem votadas leis que protegessem tanto a vida do nascituro quanto a vida da gestante em crise.

Um grupo de ciclistas pela vida também se encontrou com o grupo; um outro de médicos pró-vida também acompanharam em um caminhão, além de diversas ONGs de apoio às gestantes, como o Centro de Reestruturação para a Vida (CERVI) ofereceram apoio profissional e suporte.

mulheres pela vida atendem gestantes em crise

Em frente ao hospital Pérola Byington a marcha fez um momento de silêncio e não se ouviu nenhuma palavra. Passados alguns quarteirões, soltaram os balões azuis em memória dos inocentes que são abortados e das mães que sofrem as consequências do aborto. Este foi um momento em que as lágrimas se misturaram às gotas de chuva na face de muita gente…

“A passagem pela frente do Hospital Pérola Byington com a passeata toda em silêncio, com tanta gente, foi emocionante para mim. Um momento dedicado aos bebês cujas vidas foram ali ceifadas… dedicando a eles como anjos, intercessores a vida dos que hoje correm risco… Foi lindo”. (Eunice)

A vida de cada ser humano é importante

Ao chegar no ponto final da Marcha, a Praça da Sé, os participantes foram surpreendidos com uma estrutura, de mais de 9 metros de altura, que representava um útero materno com um bebê. Além da luz do coração do feto, que piscava, o público pôde escutá-lo do batendo em sincronia com a luz.

Querendo mostrar que aquela vida é independente do corpo da mãe. Tal imagem marcou as redes sociais e virou o símbolo desta causa que reuniu tantas pessoas ali.

“Foi impressionante a resiliência e a vontade de concluir essa Marcha, apesar da tempestade. Isto foi o que mais me marcou e emocionou. Foi maravilhoso!”. (Juarez)

O primeiro em falar foi o cardeal Dom Odilo, que leu para todos o Manifesto em Favor da Vida. Depois, foi passada a palavra à pastora Nill, da Igreja Batista, entre outros.

No encerramento foi entoado o Hino Nacional, seguido por uma torcida que repetia alegremente: “Vida sim, aborto não!”. Nas despedidas, foi tocada a música oficial da Marcha que ressoou no caminhão de som, e num clima de muita emoção, todos cantaram que o Brasil inteiro se unirá para que o amor e a vida possam prevalecer.

foto do bebê gigante coração batendo

A equipe organizadora manifestou grande contentamento com a convocatória e Marcelo, um dos principais organizadores, disse que já estão organizando a próxima Marcha. O Manifesto de Dom Odilo pode ser acessado aqui

“Ver aquela multidão defendendo a vida, ver a alegria, a determinação de todo mundo para defender a vida! Uma pena que a mídia secular não mostre. Foi muito grande! Aquele bebê com o coração batendo, o testemunho da grávida que foi apoiada… foi uma experiência extremamente positiva”. (Rose)

<

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password