Ícone do Imaculado Coração de Maria

Imaculado Coração de Maria – Uma devoção agradável a Deus

No ano de 1917, Nossa Senhora apareceu na vila de Fátima em Portugal a três crianças. Lá ela havia de revelar a devoção ao seu Imaculado Coração que celebramos no mês de junho, juntamente com o Sagrado Coração de Jesus.

Eu nunca te deixarei

No dia 13 de junho, Maria aparece pela segunda vez aos pastorzinhos e depois de conversarem sobre alguns pedidos, Lúcia pede a Maria que os três pudessem ir ao Céu.

Nossa Senhora revela que logo Francisco e Jacinta iriam, mas, ela, Lúcia ficaria um pouco mais, pois sua missão seria propagar a devoção ao seu Imaculado Coração ao mundo.

E promete: “A quem a abraçar, prometo a salvação; e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o Seu trono”.

Depois desta revelação, Lúcia, se entristece por saber que seus primos a deixarão e Nossa Senhora mais uma vez a consola:

“Não, filha. E tu sofres muito? Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus”.

Um coração ultrajado

A aparição seguiu com a revelação da imagem que hoje conhecemos do Imaculado Coração:

“… frente da palma da mão direita de Nossa Senhora, estava um coração cercado de espinhos que parecia estarem-lhe cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que queria reparação”.

A Igreja intensificou então esta devoção unindo-a à devoção dos sábados dedicados à Virgem Maria.

Anos mais tarde, Lúcia, já uma religiosa, comunicou ao seu confessor que matinha a devoção da comunhão reparadora dos cinco primeiros sábados. Neste artigo explicamos com detalhes esta devoção.

Basicamente, as principais ofensas dirigidas à Nossa Senhora são cinco: blasfêmias contra a Imaculada Conceição; Contra a sua Virgindade; Contra a maternidade divina, recusando recebê-la como Mãe dos homens; Os que procuram publicamente infundir, nos corações das crianças, a indiferença, o desprezo, e até o ódio para com a Imaculada Mãe; Os que A ultrajam diretamente nas Suas sagradas imagens, sendo necessário dedicar uma comunhão eucarística para reparar cada uma delas.

A devoção hoje

Infelizmente, há uma diminuição da devoção mariana em toda Igreja, grande parte por culpa dos diálogos ecumênicos e inter-religiosos que fizeram com que a Igreja Católica, para não ofender a fé dos outros, suprimisse destes diálogos a devoção a Maria.

Não podemos ocultar Nossa Mãe em nenhum lugar que vamos, por isso, católico, retornemos nosso olhar ao seu Imaculado Coração! Os grandes santos tiveram grande apreço por Maria e nunca se envergonharam de dedicar a ela o seu caminho de santidade.

Nunca esqueçamos o que disse certa vez o Cura D’Ars:

Todos os santos tiveram uma grande devoção pela Santíssima Virgem; nenhuma graça nos chega do Céu sem passar pelas suas mãos.

Ninguém entra numa casa sem falar ao porteiro; pois bem, a Santíssima Virgem é a porteira do Céu. Enquanto o mundo durar, ela andará por toda a parte.

Com informações de:

Pensamentos escolhidos, São João Maria Vianney, presbítero, Cura de Ars

Santuário de Fátima, Portugal

<

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password