Santa Faustina e a Divina Misericórdia

A Santa que propagou a devoção à Divina Misericórdia se chamava Maria Faustina Kowalska e nasceu em 25 de agosto de 1905 no interior da Polônia.

Ela teve uma bonita experiência de misericórdia em sua própria vida e aos 20 anos entrou para a Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia em Cracóvia. Faleceu em 5 de outubro de 1938 aos 33 anos, de tuberculose.

Em suas revelações à Santa Faustina, Nosso Senhor destacou a importância da misericórdia Divina no plano de salvação da humanidade. “Diz que a misericórdia é o maior atributo de Deus. Todas as obras das Minhas mãos são coroadas pela misericórdia”.

Devoção à Divina Misericórdia

A devoção à Divina misericórdia consiste em confiar nosso coração e nossa vida a Jesus Misericordioso e daí surge a oração “Jesus, eu confio em Vós”, inscrita também aos pés de Jesus no tão famoso quadro do Misericordioso.

O próprio Jesus, em uma de suas revelações à Santa Faustina, nos deu o caminho, quando disse: “às três horas da tarde, implora a Minha misericórdia, especialmente pelos pecadores e, ao menos por um breve momento, reflete sobre a Minha Paixão, especialmente sobre o abandono em que Me encontrei no momento da agonia. Essa é a Hora da grande misericórdia para o mundo inteiro. Permitirei que penetres na Minha tristeza mortal. Nessa hora nada negarei à alma que Me pedir pela Minha Paixão”.

Na Aliança de Misericórdia rezamos o terço da misericórdia diariamente às 15 horas, seguindo as recomendações de Jesus.

Reze conosco, todos os dias durante a quaresma, em nossa página no Facebook!

Além disso, a Igreja celebra a “Festa da Misericórdia” no segundo domingo da Páscoa, respondendo também a um pedido de Jesus à Santa Faustina: “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia”.

Saiba mais sobre a festa da misericórdia

 

Divulgação da Devoção

Santo Padre, Papa São João Paulo II foi um grande devoto da Divina Misericórdia. Em 1967, quando era Arcebispo de Cracóvia, o então Cardeal Karol Wojtyla concluiu a primeira etapa do processo de beatificação de Irmã Faustina.

Em 1993, como Papa João Paulo II, a beatificou e em 2000 a canonizou. Como grande devoto e propagador dessa devoção, também escreveu a Encíclica Dives in Misericordia, de 1980, que estabelece as bases doutrinárias do culto à misericórdia Divina.

Leia aqui, a Encíclica “Dives in Misericordia”, do Papa São João Paulo II

Jesus quer que a humanidade conheça a bondade de Seu Coração, por isso ele pede insistentemente que se divulgue para todo mundo o culto da Divina Misericórdia e podemos encontrar no Diário de Santa Faustina, parágrafo 1521, o seu apelo:

“Minha filha, não te canses de divulgar a Minha misericórdia; consolarás com isso o Meu Coração, que arde como chama de compaixão para com os pecadores”.

Em diversos outros trechos do Diário é possível encontrar a recomendação de Jesus à devoção à divina misericórdia.

Adquira o Diário de Santa Faustina na Loja da Misericórdia!

Promessas aos que divulgarem a Divina misericórdia

Jesus prometeu que não desampararia seus filhos e, em especial, àqueles que se dedicarem a divulgar a devoção à Divina Misericórdia, com o adendo de que esses não ficarão sem receber inúmeras graças e benefícios na terra e no céu.

Acompanhe alguns trechos das promessas feitas por Nosso Senhor àqueles que se dedicarem a divulgar a devoção à Divina Misericórdia:

“Deus prometeu uma grande graça a ti e a todos que proclamarem esta Minha grande misericórdia. Eu mesmo os defenderei na hora da morte como a Minha glória. E, ainda que os pecados das almas fossem negros como a noite, quando o pecador recorre à minha misericórdia, presta-Me a maior glória e é a honra da Minha Paixão. Quando a alma glorifica a minha bondade, então o demônio treme diante dela e foge até o fundo do inferno” (378).

“As almas que recorrem à Minha misericórdia e aquelas que glorificarem e anunciarem aos outros a Minha grande misericórdia, na hora da morte Eu as tratarei de acordo com a minha infinita misericórdia” (1520).

“As almas que divulgam o culto da Minha misericórdia, eu as defendo por toda a vida como uma terna mãe defende seu filhinho e, na hora da morte, não serei Juiz para elas, mas sim o Salvador Misericordioso. Nessa última hora, a alma nada tem em sua defesa, além da Minha misericórdia. Feliz a alma que, durante a vida, mergulhou na fonte da misericórdia, porque não será atingida pela justiça” (1075).

“Todas as almas que louvarem Minha misericórdia e divulgarem a sua veneração, estimulando outras almas à confiança na Minha misericórdia, essas almas na hora da morte não sentirão pavor. A minha misericórdia as defenderá nesse combate final” (1540).

Adquira o livro “No Oceano da Misericórdia Infinita” de Pe. João Henrique

Santa Faustina e a Aliança de Misericórdia

Santa Faustina tem um papel de muita importância na Aliança de Misericórdia, pois foi a primeira propagadora do nosso carisma, por isso, a temos como uma grande irmã e intercessora no céu por nós.

Na Aliança de Misericórdia buscamos viver a devoção à divina misericórdia e propagar essa devoção com nossas vidas.

A meditação sobre a infinita misericórdia de Deus que nos alcançou sempre deve estar presente em nosso dia a dia e nunca devemos deixar que essa chama de amor se apague em nosso coração.

Nosso Movimento está na Polônia, terra de Santa Faustina e da Divina Misericórdia. No país, a Aliança está presente com a Comunidade de Vida, Comunidade de Aliança e diversos Amigos Missionários.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password