fbpx

Congresso Jovem 2022 – Nosso legado espiritual

O Congresso Jovem 2022 da Aliança de Misericórdia aconteceu no último fim de semana (2 e 3 de julho) e foi incrível!

Uma experiência de comunhão e partilha, onde mais de 500 jovens puderam aprofundar no legado espiritual do nosso carisma.

Durante os 2 dias do evento, que ocorreu no Centro de Evangelização no Botuquara, jovens de diversas partes do país puderam viver uma experiência única de oração e aprofundamento no carisma da misericórdia.

Com o tema “Originalidade, o #CJ2022 abordou o que é ser “original”, de onde vem a nossa originalidade e como manter vivo o legado espiritual que nos foi dado, como ser um cristão único e original em nossa vida diária.

 

Originalidade dos nossos fundadores

Na primeira palestra do sábado de manhã, as missionárias Michelle e Lilian abordaram o tema do Congresso, onde relembraram um pouco da nossa origem como Aliança de Misericórdia, falando dos nossos fundadores Pe. João Henrique, Pe. Antonello e Maria Paola, que deixaram a Itália para evangelizar o Brasil, de forma que só eles poderiam fazer.

De forma original, vieram e nos deixaram um carisma. Só eles poderiam criar a Aliança de Misericórdia, assim como só nós podemos fazer o que Deus quer de nós, só nós podemos cumprir a missão que Ele nos deu. “Ser original é ser o que Ele sonhou que nós sejamos. Ser original não é ser o que a gente quer, é ser o que Ele quer de nós”.

 

“E quando só tiver Jesus?”

A segunda pregação do Congresso Jovem foi conduzida pelos missionários Magno da Cruz e Hellena da Cruz, que falaram sobre o tema: E quando só tiver Jesus?”.

Para carregar o nosso legado, a nossa posição no Reino, temos que estar ligados ao Cristo Crucificado, pois é na cruz que encontramos a redenção.

Se você quiser abraçar a cruz de Cristo, você, necessariamente, tem que abraçar a solidão e o abandono do irmão, você precisa viver o mistério da unidade, do “Deus que está no meio de nós”.

Esse Jesus abandonado (nome dado ao Pe. Antonello como consagrado, mas também a cada um nós), nós devemos abraçá-Lo em cada irmão que sofre, em cada alma que evangelizamos. Isso é ser Aliança de Misericórdia.

 

Assumir o legado

Na terceira pregação do dia, o professor Rafael Brito emocionou a todos com seu testemunho sobre o legado de Deus na sua vida e sobre a importante presença de tantas pessoas em sua caminhada.

Nos convidou a acreditar no potencial de cada um de nossos irmãos, e também no nosso potencial, pois Deus sempre acreditou e sempre nos deu Sua graça.

Se acreditarmos, podemos alcançar tudo, “colocar fogo no mundo”, mas para isso precisamos olhar além.

 

Santa Missa com Pe. Custódio

Na Santa Missa do sábado (2), o Padre Custódio, presidente da Obra nos lembrou um pouco da herança que recebemos enquanto Aliança de Misericórdia e enquanto Igreja.

“Seja o Evangelho a vossa única regra de vida”, viver o carisma da misericórdia nada mais é do que mergulhar no Evangelho de Jesus Cristo. É perceber a grande riqueza, o legado espiritual que nós recebemos.

O Pe. Custódio disse que o carisma não nos convida a sermos como todo mundo, o carisma nos chama a sermos únicos, originais e com essa originalidade anunciar a Boa Nova do Evangelho.

E finalizou com a frase: “Os meus pés precisam estar fixados no carisma, o meu olhar precisa estar continuamente voltado para novos horizontes e o meu coração precisa estar ancorado na presença de Deus”.

 

Noite de música e arte

A noite de sábado ainda contou com um teatro da Companhia de Artes da Aliança de Misericórdia, show e adoração Eucarística, com o Acordi, onde muitos jovens se emocionaram e viveram experiência profundas de misericórdia e coragem para seguir a vontade de Deus.

 

Segundo dia – Ser o que Deus sonhou

O domingo do Congresso começou com a Sana Missa presidida pelo Pe. João Henrique, nosso fundador, que na homilia falou sobre sermos aquilo que Deus sonhou para nós!

O padre disse: “Você não é aquilo que os outros pensam de você, você não é aqui que você pensa de você, você é aquilo que o desígnio do Senhor gerou no íntimo do próprio coração. Ele quer que hoje você descubra esse nome novo que Deus quer te dar, o nome que Deus te chama e pelo qual revela o sentido da sua existência. Não tenham medo de ser homens novos e mulheres novas em Cristo, seguindo o sonho, a missão de Deus para cada um de nós.”

Após a missa houve um grande momento de oração, os missionários rezaram pelos jovens presentes.

 

A acolhida – uma marca da Aliança

Seguindo a programação da manhã de domingo, Ramon e Cleiton falaram um pouco sobre o tema: “Atrairei Todos a Mim”, onde abordaram a importância de uma acolhida profunda, uma das marcas da Aliança de Misericórdia.

A acolhida começa pelo olhar, a Maria Paola era conhecida pela grande acolhida que fazia a todos, mas tinha uma outra caraterística marcante dela: o olhar, seu olhar profundo e acolhedor.

O mundo precisa conhecer esse olhar que cura, essa acolhida que salva, o mundo tem sede da misericórdia, da amizade, do ser família, o mundo precisa do SIM de cada um de nós.

 

Ser testemunhas de Cristo

Ainda na parte da manhã, o Congresso Jovem recebeu a presença do Deputado Federal Enriso Misasi, que partilhou um pouco da dimensão de ser católico em meio ao ambiente político ele disse:

“O cristão não é cristão quando está rezando, o cristão é quem deixou sua vida inteira ser transformada pelo encontro com Deus. Nós não vamos transformar o mundo com palavras bonitas, mas com nosso testemunho para que as pessoas venham e vejam o que é ser cristão. Nós somos chamados a ser testemunhas, a dar a nossa vida. Deus não nos cobra resultados, cobra o nosso SIM.

É assim que vamos transformar a sociedade, não é imitando o mundo, é vivendo em comunidade e levando até as últimas consequências a busca pela santidade”.

 

Vai e reconstrói a minha Igreja

Após o almoço, a última pregação do congresso jovem foi conduzida pelo Kayque e pela Maria Rafaela, que pregaram sobre o tema: “Vai e reconstrói a minha Igreja”.

Na pregação, nossos irmãos nos mostraram que é muito mais fácil construir do que reconstruir. Muitas vezes, os jovens não estão acostumados a falar de intercessão, reparação, jejum.

Mas, o processo de reconstrução da Igreja passa pela reparação. A reconstrução começa quando estamos posicionados espiritualmente. Ser uma alma reparadora, ser alguém disposto a reconstruir a Igreja não é fácil, é preciso coragem, coragem para ouvir a voz de Deus.

O que precisamos ao final é uma multidão de adoradores que adore em Espírito e em Verdade.

Ao final da pregação, os jovens que participaram do #CJ2022 viveram um momento profundo de oração, louvor e adoração, conduzido pelo padre Rodrigo Elias e pelo padre Danilo Rasera.

Foi um momento de intercessão, hora de colocar em prática tudo o que foi abordado no Congresso.

Jovens intercessores, jovens que carregam a cruz com Cristo e que desejam ser cristãos em todos os ambientes, tendo em vista o legado que recebemos dos nossos fundadores e da Santa Igreja, um legado de santidade e martírio, um desejo de não perder nenhuma alma para Deus.

O Congresso Jovem termina com o compromisso de levar toda essa experiência para as suas cidades e realidades.

Sejamos originais!

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password