Rastros do Eterno

Quais os rastros do Eterno você tem deixado nessa geração?

Ninguém pode deixar por mim as marcas que Deus reservou para que eu as vivesse e deixasse nessa Terra!”.

Começa o mês de novembro e logo nesse início podemos refletir sobre coisas essenciais na vida, e algo que acontecerá com todos: a morte!

No dia de finados somos convidados a ir ao cemitério, orar e celebrar a missa pelas almas dos fiéis defuntos. Essa é sempre uma oportunidade para reflexão.

Todas as vezes que vou a um velório algo palpita forte no meu coração. Ao olhar ao redor, fico refletindo naquilo que deixamos, construímos, amamos ou não. Me questiono sobre o tempo, se o aproveitei ou não.

Tudo se torna tão profundo naquele instante que o desejo de viver bem e intensamente vem à tona.

Olhar a vida a partir da Morte.

É interessante que a morte nos faz pensar na vida e como a temos vivido.

Uma vez eu li uma frase de Santo Antônio de Pádua, que diz:

“Quem se humilha no pensamento da morte, põe em ordem toda sua vida, e está atento a tudo que o rodeia. Afasta de si a ociosidade, se anima nos trabalhos, confia na misericórdia do Senhor, e dirige o curso de uma existência vazia ao porto da eternidade”.

E essa frase me fez refletir, com a ótica do Reino de Deus, se estou realmente me preparando pra quando esse dia chegar na minha vida.

Ou seja, quem se coloca a pensar na morte constantemente como uma revisão de vida, começa a pensá-la de forma mais real, com os ‘pés no chão’ e atento, para um dia não se arrepender de ter feito menos que aquilo que Deus sonhou para cada um de nós.

Os rastros do Eterno

Sabemos que aquele que vive em Cristo, não morre, mas tem a vida eterna. E se buscamos fazer tudo pelo Reino, buscamos assim não morrer, mas viver para sempre.

E eis a questão: sabendo que sim, vou passar pela morte, mas que ela nada mais é do que uma passagem para o Céu, o que tenho feito para viver para sempre com Deus?

Quais marcas do Eterno eu tenho deixado nessa vida?

Existe uma marca profunda de Deus em cada um de nós. Particular, exclusiva. Podemos ver pela vida dos santos, nenhum foi igual ao outro. A marca que um santo papa pôde deixar na historia de sua geração foi diferente da marca de um pobre franciscano. Mas, ao olhar de Deus elas são grandiosas e únicas.

Ninguém pode deixar por mim as marcas que Deus reservou para que eu as vivesse e deixasse nessa Terra.

Morte que gera vida

Atrás de nós há uma multidão: nossa família, amigos, colegas de trabalho, de faculdade e etc. E há um legado de cada um de nós a ser deixado. O amor deixa marcas profundas e Deus quer que esse legado, que só você em particular tem, e que só eu tenho, seja deixado com toda a força e plenitude. Isso gerará muita vida para as próximas gerações.

O que seria de nós sem o legado de Pedro, primeiro papa da Igreja? Mesmo nas suas limitações, ele assumiu com garra e convicção seu chamado e deixou pra nós um legado eterno.

Viva a vida com intensidade, porque viver é também ir, dia a dia, morrendo para que outros vivam. Isso fará com que você deixe marcas eternas nessa vida, nessa geração.

Lilian de Maria
Missionária consagrada da Aliança de Misericórdia

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password