fbpx

Devoções marianas em outubro: a mãe que sempre visita seus filhos!

Aqui no Brasil, de forma especial, temos três grandes devoções à Nossa Senhora que se manifestam neste mês de outubro. Maria sempre foi uma mãe muito presente para o seu povo.

Essas devoções são: Nossa Senhora de Nazaré (segundo domingo de outubro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Nossa Senhora de Schoenstatt (18 de outubro).

Conheça um pouco mais da história dessas manifestações da Mãe que visita seus filhos.

 

Nossa Senhora de Nazaré

Círio de Nazaré
Círio de Nazaré
Fonte: Canção Nova

Essa devoção surgiu de uma antiga tradição cristã do primeiro século, que conta que o próprio São José esculpiu uma imagem de Maria em madeira, em Nazaré, e que São Lucas Evangelista a pintou.

Mais tarde, a imagem foi levada para o mosteiro de Cauliniana, na Espanha. Depois, já no século VI, no ano de 711, foi levada para Portugal.

Com a invasão dos Mouros em Portugal, o rei Rodrigo, último rei visigodo da Península Ibérica, fugiu e levou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Depois, ela foi escondida numa gruta, e ficou perdida por cerca de 400 anos.

Em 1182, foi novamente encontrada por pastores que se encantaram com a beleza e simplicidade da imagem.

Após isso, os Jesuítas passaram a propagar a devoção à Nossa Senhora de Nazaré em Portugal e, posteriormente, na Europa.

Aqui no Brasil, a devoção começou através de um grande sinal de Nossa Senhora, no dia 8 de setembro de 1630, em Saquarema/RJ. Depois de uma grande tempestade, um pescador saiu para ver suas redes e viu um grande brilho. Ao se aproximar da luz intensa, encontrou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré.

Ele levou a imagem para casa, reuniu o povo, rezaram a ela e foram dormir. No dia seguinte, a imagem havia desaparecido e foi encontrada no morro, onde inicialmente havia sido vista pela primeira vez.

Isso aconteceu por duas vezes, então o povo entendeu que Maria pedia que lhe fizessem um santuário naquele local.

 

Círio de Nazaré

Atualmente, em Belém do Pará acontece a maior festa católica dedicada à santa, o famoso Círio de Nazaré.

A festa é celebrada desde 1793, e hoje mais de dois milhões de pessoas participam, todos os anos.

Uma grande procissão, com todos levando velas, sai de uma igreja e faz o translado da imagem de Nossa Senhora de Nazaré para outra igreja, em um percurso de cinco quilômetros.

 

Nossa Senhora Aparecida

Nossa Senhora Aparecida
Nossa Senhora Aparecida
Fonte: Santuário Nacional de Aparecida.

A história de Nossa Senhora Aparecida começa em outubro de 1717.

O povo de Guaratinguetá/SP, resolveu oferecer um banquete para Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos, governante da capitania de São Paulo, que estava passando pela região.

Por isso, três pescadores: Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, rezaram para a Virgem Maria e pediram a sua intercessão para a pescaria.

Eles então subiram o Rio Paraíba e, depois de várias tentativas sem sucesso, João Alves encontrou o corpo de uma imagem da Virgem Maria sem a cabeça e, ao lançar a rede novamente, ele encontrou a parte que faltava.

Quando completa, a imagem da santa teria ficado tão pesada que eles já não podiam mais carregá-la sozinhos. E então, as redes se encheram com muito peixes que quase tombaram o barco.

A imagem foi levada para a casa de Filipe Pedroso. A partir daí, as pessoas começaram a visitar a imagem, pedir a intercessão e a devoção foi se espalhando pela região e posteriormente por todo o país.

Saiba mais sobre a devoção e intitulação como Padroeira do Brasil. Clique aqui 

Nossa Senhora de Schoenstatt

Nossa Senhora de Schoenstatt
Nossa Senhora de Schoenstatt
Fonte: Santuário de Nossa Senhora de Schoenstatt

No dia 18 de outubro de 1914, o Padre José Kentenich fez uma conferência à Congregação Mariana do Seminário de Schoenstatt, na Alemanha, em que revelou uma ‘moção’ que Deus colocava em seu coração, de fazer um movimento Mariano, e levar Nossa Senhora a todo o mundo.

O Padre Kentenich afirmava que “Maria é companheira e colaboradora permanente de Cristo em toda a Obra da Redenção”.

A Congregação Mariana do Seminário de Schoenstatt viu no desejo do padre uma bonita iniciativa da própria Mãe de Deus.

Em 1915, adotaram o título de “Mãe Três Vezes Admirável”, que deram à imagem de Maria. Ela foi colocada na Capelinha de São Miguel e então começou um grande movimento devocional, acompanhado de milagres e curas.

Diz a tradição que, quem ia a Schoenstatt experimentava três graças: a graça do acolhimento, a graça da transformação interior e a graça de fecundidade e missão apostólicas.

Alguns dos congregados schoenstattianos entregaram-se de tal modo à devoção, que, nos campos de batalha da Primeira Guerra Mundial, chegaram a oferecer a sua vida como vítimas à Mãe Três Vezes Admirável.

Com o tempo, a devoção foi crescendo em campos de batalha, hospitais militares e eu toda a Alemanha.

A devoção chegou ao Brasil através dos imigrantes, e aqui se espalha de modo muito simples e bonito.

Hoje, é uma das devoções a Maria mais difundidas no país, com as famosas capelinhas que vão de casa em casa, de cidade em cidade mostrando o amor materno de Maria que vem nos visitar em nossa realidade.

 

Maria sempre presente para o povo brasileiro

Essas três devoções marianas são celebradas em outubro e são muito famosas no Brasil. Algumas mais regionalmente que outras, mas as três, em comum, nos mostram a predileção de Nossa Senhora pelos seus filhos.

A Mãe vem nos visitar das mais diversas formas, e na simplicidade busca alcançar os corações, seja através de uma imagem pescada, de uma capelinha que bate de porta em porta, ou mesmo uma luz que nos faz parar e olhar para o Divino.

Maria está sempre conosco, cuidando de cada um de nós e nos amando como seus filhos prediletos.

 

Leia também: Imaculada do Espírito Santo, mãe e fundadora da Aliança de Misericórdia

 

Santa Maria, rogai por nós!

0 Comments

    Leave a Comment

    12 − oito =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password