Uma “bela briga” pode dar bons frutos

Todos os casais brigam em um momento ou outro. Todavia, mais importante do que brigar é saber como cada um fica depois que aquela termina.

Conviver é uma arte

O que é uma discussão? É quando duas pessoas expõem pontos de vista diferentes sobre um determinado assunto e tentam explica-los um ao outro. Quando a discussão acontece entre o casal é totalmente normal e pode ser considerado um sinal de amor.

Não pombinhos, a lua-de-mel não é eterna onde os sorrisinhos, beijos à toda hora, são frequentes. Alguma hora a vida se apresenta nua e crua diante dos seus olhos.

A convivência, desde os primórdios da humanidade, nunca foi fácil e por isso mesmo o relacionamento a dois exige responsabilidade e compromisso de ambas as partes. Exige uma avaliação constante de escolhas e prioridades: “ok, temos que parar em algum lugar nesta discussão”.

A briga muitas vezes serve para que cada um conheça melhor o outro, seus gostos, o que incomoda e tira do sério, entender convicções e reações, porque se sente de tal jeito, enfim. Uma discordância de vez em quando pode aumentar a intimidade do casal.

Claro, a briga não deve ultrapassar os limites do respeito à dignidade do outro, porque daí fica caracterizada a agressão, e isto não é nada bom.

“Falei bobagem”

Os altos e baixos de um relacionamento o tornam mais forte e robusto. Façamos a comparação com um fisiculturista: ele, ao levantar os pesos, seus músculos ficam danificados, o que pode ser percebido pela ardência e dor.

O corpo começa, então, a fase de regeneração e, com isso, aquela parte antes danificada, fica maior e mais resistente.

As brigas danificaram os sentimentos, mas se o casal olhar para o essencial da relação, buscando a reconciliação, eles sairão desta dificuldade ainda mais fortalecidos e calejados para as próximas discussões, pois conhecerão os limites um do outro.

No mais, se você seguir estas regras de ouro, suas discussões darão frutos de maturidade:

Regra de ouro n°1 – “Tanto quanto for possível e de vós dependa, vivei em paz com todos” (Rm12, 18). Mas se mesmo assim a discussão começar, trate o outro de maneira respeitosa e civilizada, falando, mas também escutando, só assim a química entre o casal vai permanecer intacta.

Regra de ouro n°2 –  Nunca, nunca, nunca (para reforçar) diga nada que você vá se arrepender no futuro. Quando estamos com raiva, a língua é a primeira a desferir o soco; pense nas palavras, assim você terá tempo de se controlar e dominar os impulsos. Palavrões jamais! Comportem-se como adultos e verão os frutos depois.

Regra de ouro n°3 – Não fuja do assunto da briga. É típico do casal ressuscitar mortos ou dar argumentos furados. Mantenha-se no presente, ouça os argumentos do seu amor se esforçando para entende-los.

Regra de ouro n°4 – Sinceridade. Nada pior do que dizer uma coisa quando na verdade você queria dizer outra. Uma hora a verdade vai aparecer. Se você ficou com raiva, diga que ficou com raiva. Não fale “fiquei chateado” ou “não foi nada”; é sinal de humildade admitir o que sente, isso vai ajudar também admitir que as vezes você não está certo (a).

Regra de ouro n°5 – A briga foi longe demais? Dê um tempo! Quando as palavras tomam dimensões de ofensa, elas podem se tornar pequenos cupins que se instalam nas bases do vosso relacionamento. Esquentou o tempo? Vá cada um para o seu canto, silenciem e depois, mais calmos, continuem até se acertarem.

Não há nenhum problema em discutir de vez em quando. O problema é a forma como você lida com essas brigas. Quando você age de maneira correta, o seu amor será mais forte e sua relação com a pessoa que você ama vai durar a vida inteira.

Com informações de Apost/Portugal

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password