fbpx

São Joaquim e Santa Ana

São Joaquim e Santa Ana, os pais da Virgem Maria e avós de Jesus.

Como deve ter sido a experiência de ser avô do Salvador do Mundo?

São Joaquim e Santa Ana, avós de Jesus

Neste dia em que a Igreja celebra esses santos, e também comemoramos o dia dos avós, vale a pena refletir um pouco sobre essa bonita dinâmica familiar.

Em geral, os avós são aquelas figuras amorosas e carinhosas, que amam tanto os netos que às vezes chegam a estragar. Eu não sei se você já ouviu o famoso ditado: “pai educa, vô estraga”.

Mas, por que esse ditado existe? Obviamente, não é porque os avós são ruins para os netos, pelo contrário, em geral, os avós têm um amor tão grande que acabam cedendo e fazendo a vontade das crianças.

A grande maioria das pessoas tem bonitas memórias afetivas dos avós, de pequenos cuidados e mimos que só um vô e uma vó são capazes. E como será que foi para São Joaquim e Santa Ana essa experiência de serem avós do próprio Deus.

Não temos relatos históricos da convivência de São Joaquim e Santa Ana com Jesus, mas podemos deduzir o profundo amor que tinham pelo menino Deus, assim como um profundo respeito.

 

Apócrifo de São Tiago

Encontramos algumas informações no “Protoevangelho de Tiago”, um evangelho apócrifo do século II, que pode ser aceito como uma tradição piedosa, mas nunca como canônico.

O texto fala dos momentos da vida de Nossa Senhora, o matrimônio dos pais Joaquim e Ana, a concepção da filha após 20 anos de casados, seu nascimento e a apresentação ao Templo de Jerusalém.

De acordo com essa tradição, São Joaquim e Santa Ana era estéreis, o que naquele tempo entre os judeus era visto como falta de benção.

Depois de ser insultado por um homem no templo, São Joaquim se retirou ao deserto durante 40 dias, implorando a Deus uma descendência. Deus então ouviu suas preces e lhes deu Maria, nascida sem pecado original por graça divina.

Quando a filha completou 3 anos, Joaquim e Ana levaram-na ao Templo, para consagrá-la em sinal de agradecimento a Deus.

A partir daí, não encontramos mais referências a Joaquim, não sabemos se ele chegou a conhecer Jesus, mas os relatos apócrifos contam que Santa Ana viveu até os 80 anos, por isso ela é considerada padroeira das viúvas e das mães.

 

Tradição sobre Santa Ana

O nome Ana em hebraico significa: “graça”; e Joaquim equivale a: “Javé prepara ou fortalece”. Santa Ana é comumente invocada em partos difíceis e em casos de infertilidade.

Uma bonita tradição católica pede a Santa Ana 3 graças: um parto feliz, um filho saudável e leite suficiente para poder amamentá-lo.

Não sabemos se São Joaquim e Santa Ana conviveram com Jesus na Terra, mas sabemos que São Joaquim e Santa Ana são exemplos de perseverança na fé, caridade profunda e amor às coisas do Alto. Nada mais justo do que os Avós de Jesus serem tão parecidos com o Divino Mestre.

 

Veja aqui: O que os avós têm para ensinar

 

Oração a São Joaquim e Santa Ana

“Ó São Joaquim e Sant’Ana, protegei as nossas famílias desde o início promissor até a idade madura repleta dos sofrimentos da vida e amparai-as na fidelidade às promessas solenes. Acompanhai os idosos que se aproximam do encontro com Deus. Suavizai a passagem, suplicando para aquela hora a presença materna da vossa Filha ditosa, a Virgem Maria, e do seu Filho divino, Jesus! Amém!”

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password