Santa Teresa de Calcutá, empoderada pelo Espírito

Quero partilhar com você agora sobre uma grande mulher segundo o coração de Deus. Uma mulher que foi cheia do Espírito Santo, que encantou e impressionou a muitos e continua encantando ainda hoje por seu exemplo de vida doada, entregue pelos mais pobres e necessitados: Santa Teresa de Calcutá.

Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota

Santa Teresa de Calcutá - empoderada pelo Espírito Santo

Saciar a sede do Cristo

Ela, desde muito cedo, demonstrava um forte anseio pelas coisas de Deus. Entrou para a Casa Mãe das Irmãs de Nossa Senhora de Loreto aos 18 anos de idade.

Sua superiora conhecia o anseio de seu coração pela missão na Índia – ir ao encontro dos mais pobres entre os pobres – e logo a enviou à Índia, onde viveu seu postulantado e escolheu receber o nome de Teresa, homenageando Santa Teresinha do Menino Jesus.

Em sua biografia, encontramos um dia marcante, o qual ela mesma descreveu como “o dia da inspiração”. Foi o dia 10 de setembro de 1946, enquanto ela estava em uma viagem pelo Himalaia e viu um pobre que dizia a seguinte frase: “Tenho sede!”.

Aquele momento a impactou e ela compreendeu que era o próprio Jesus, seu Senhor, quem falava com ela através daquele pobre. Santa Teresa percebeu que Jesus a convidava a saciar Sua sede através do cuidado com os mais necessitados, com os excluídos, com os mais pobres.

Uma missão para a vida

Essa mulher não apenas compreendeu aquele fato, como o vivenciou por todos os demais dias da sua vida. Ela verdadeiramente entregou sua vida em detrimento desse propósito de Deus, respondeu e vivenciou integralmente esse chamado.

Sabemos que depois de um tempo ela fundou sua congregação, recebeu o prêmio Nobel da paz, foi recebida pelo Papa João Paulo II – o qual a tornou sua “melhor embaixadora” em todas as nações. Esses fatos atestam seu testemunho real e concreto de uma vida em Deus.

Teresa de Calcutá, abandonada

Mas, o que eu realmente gostaria de refletir com você é algo que nem sempre gostamos de falar e que Santa Teresa viveu – não apenas em alguns momentos – a maior parte de sua vida: o abandono. Ela compreendeu que sua vida era toda do Seu Senhor Jesus Cristo e viveu com radicalidade e total entrega em todas as situações. Os relatos nos contam que ela passou cerca de 50 anos sem sentir a presença de Deus ou ouvir Sua voz. Mesmo assim, ela permaneceu.

Ouvir e até mesmo ler essa palavra abandono parece nos incomodar muito. Logo, partimos para o significado de exclusão, solidão apenas. Santa Teresa, vivenciando esse tempo de “noite escura”, compreendeu que a única coisa necessária era estar com Deus. Ela aprendeu que não era necessário entender tudo, mas que precisava confiar em Quem a chamou.

Aos olhos da fé, abandono é estar totalmente entregue, rendido nos braços de Deus. Ser todo dEle, estar todo nEle, estar com Ele. É tudo entregar, tudo doar. Se despojar de tudo. Permitir que Ele seja Deus, definitivamente.

Teresa, abandonada em Deus

Abandonar-se em Deus, viver um abandono em Deus é ir além dos nossos conceitos, nossas razões, nossos desejos, nossos anseios, nossa percepção, nossos sentimentos…é ir além de nós mesmos! São João da Cruz tem uma frase que revela esse tesouro de vivência da fé: “Renuncie aos desejos e encontrará o que seu coração deseja”. Viver um verdadeiro abandono em Deus nos ajuda a sermos livres de tudo, de todos, de nós mesmos e chegarmos ao que, de fato, nosso coração deseja: a pertença total a Deus, a intimidade profunda com Deus.

Nesse mesmo sentido, Santa Teresa nos ensina com um de seus pensamentos:

Não sou nada, sou apenas um instrumento, um pequeno lápis nas mãos do Senhor, com o qual Ele escreve aquilo que deseja…

Ela compreendeu com a vida, que a única coisa necessária é estar com Ele. Deixar-Lo ser quem Ele é, deixá-Lo realizar Sua santa vontade através da vida dela. A nós, cabe apenas isso. Somos o lápis. Mas quem escreve é O Autor da vida, O Autor da história. Santa Teresa de Calcutá permitiu que Ele, seu Senhor, escrevesse tudo em sua vida e história. Durante o tempo de escuridão, ela sabia que – por mais que não tivesse a visão do todo que estava acontecendo – Deus permanecia escrevendo, a usando como esse lápis.

Por isso, permaneceu, confiou, não se ateve a sentimentos e desejos de entender tudo, enxergar tudo: apenas viveu o que sabia que precisava viver. Cuidou dos mais necessitados, dos mais pobres entre os pobres, pois sabia que esse era o convite de Deus para sua vida.

Deus é suficiente!

Não sei qual hoje é a sua dificuldade, qual é a sua realidade. Mas tenha a certeza: Deus tem um propósito, não só para esse momento, mas para a sua vida! Busque a Deus de todo o seu coração, deixe-se encontrar por Ele. Deixe-O ser verdadeiramente Deus na sua vida e você provará do mais puro e forte amor. Esse amor será o suficiente o bastante para você viver tudo o que for preciso. Santa Teresa de Calcutá provou desse profundo amor e ele foi o suficiente para que ela vivesse tudo. Esse amor foi tão forte na história dessa santa que se tornou concreto, carne em sua carne.

Talvez hoje você esteja enfrentando uma árdua luta, assim como Santa Teresa em sua noite escura. Tenha fé! Permaneça! Sua luta, sua escolha são importantes e fundamentais para que a obra de Deus se estabeleça no meio do caos desse mundo.

Como a própria Santa Teresa disse: “Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”. Deus precisa de você! Permita que esse abandono em Deus seja fecundo, fértil! Escolha Deus em todas as situações, em todos os momentos e a sua fé será fortalecida. Permita que dessa noite escura surja a mais profunda pertença a Deus, a mais profunda intimidade com o Bom Deus e que a Luz dEle resplandeça!

Deus tem planos!

Deus tem um propósito na sua vida! Se você não o fizer, ninguém mais o fará! Lembre-se, você é o lápis! Sua missão é ser conduzido por esse Escritor Perfeito. O fruto do abandono é a intimidade com Deus, é a mais plena compreensão da sua verdadeira identidade. Quanto mais abandonada você estiver, mais você será presença desse Deus nesse mundo.

Santa Teresa é esse exemplo: tanto se abandonou e tanto manifestou a presença e o amor de Deus. Ela se transfigurou no Amor! Ela se transformou no amor! Esse é o mistério de Deus: quanto mais nos “perdemos” nEle, quanto mais nos abandonamos nEle, mais encontramos a plenitude do que, de fato, nós somos! É perder para ganhar!

Convido você, mulher, a viver também esse abandono em Deus. Nesse tempo em que muito se fala de “empoderamento”, que podemos ser aquilo que quisermos, não esqueçamos que nós já possuímos uma identidade muito bem definida: somos filhas amadas de Deus!

O poder é de Deus, a força é de Deus. E esse poder, essa força é o AMOR! Nós somos apenas esse lápis, entregues nas mãos do nosso Bom Deus, para manifestar o Seu amor no mundo inteiro.

Que Santa Teresa de Calcutá interceda por nós e nos ajude a sermos essas gotinhas de água que fazem o mar maior!

Rosana Meneses
Missionária da Comunidade de Aliança em Salto/SP

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password