fbpx

Preciso acreditar em tudo o que a Igreja fala?

“Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20, 28b)

No início deste mês de julho, no dia 03 mais especificamente, celebramos a festa de São Tomé Apóstolo. É senso comum, quando se lembra deste apóstolo, recordar-se do termo “ver para crer” ou “só acredito vendo”. São inúmeras as meditações que podemos encontrar pela internet, as homilias e estudos sobre este apóstolo, que demonstrarão pontos de vistas que tiram um pouco deste “estigma” da incredulidade. Aqui vamos aproveitar desta oportunidade para responder à pergunta de nosso assunto: Preciso acreditar em tudo o que a Igreja fala?

A resposta clara, direta e objetiva é: SIM. Aquele que afirma sua fé em Cristo Jesus e se identifica como Católico Apostólico Romano deve acreditar, mais que isso, tem a obrigação de acreditar e ensinar tudo o que crê e ensina a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Para que possamos compreender no que devemos crer, o nosso olhar deve se voltar para o Credo Apostólico, que declara com clareza e de forma infalível, o que cada Cristão Católico deve crer. No Credo, entre as recitações das diversas verdades da fé, está o termo: CREIO NA IGREJA CATÓLICA.

Recordo-me aqui, já no primeiro ano de teologia, em aula com um dos melhores professores da História da Igreja, Prof. Magno Vilela, um dos maiores especialistas em Patrística também vivos ainda, para glória de Deus, quando nos afirmava que crer na Igreja vai para além de acreditar numa estrutura hierárquica e institucional, que existe, é necessária, importante e válida para a estrutura do Corpo de Cristo que é a Igreja. Mas CRER NA IGREJA é, acima de tudo, crer por SER Igreja, por estar NA Igreja, e só sendo possível crer por estar NA Igreja, pois nela estão as verdades de Fé declaradas e apoiadas na Verdade que é o Cristo, cabeça da Igreja.

Pela Igreja ser Universal (Católica quer dizer Universal), ela abraça, abarca, compreende e acolhe seus filhos ainda que estes não compreendam e, inicialmente não tenham todos os elementos da Verdade que ela crê e ensina para que também creiam.

A Igreja é Mãe, acolhe seus filhos na ignorância e os quer ensinar a crer e viver melhor a Verdade que é o Cristo. Verdade esta que é revelada à Sua Igreja e transmitida através do tripé que a sustenta: a Sagrada Escritura, a Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério. Através deste tripé, recebemos por herança todo ensinamento vindo de Jesus pela sucessão apostólica e, por isso, temos a segurança de saber que aquilo que da Igreja recebemos vem de forma clara e fiel ao ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo e, desta forma, se torna impossível não crer.

Este é só um artigo para nos alertar do quanto é necessário crer e ensinar no que a Igreja crê e ensina. Mas a esta altura, através de argumentos racionais e científicos, seria possível provar com toda clareza do mundo a afirmação que aqui é exposta. Porém, como nosso espaço é limitado, você poderá aprofundar isso no Catecismo da Igreja Católica, em específico na sua primeira seção, capítulo terceiro intitulado “A Resposta do Homem a Deus” dos parágrafos 142 ao 184, onde é possível compreender o que é o ato de Crer e a necessidade da obediência da fé. Depois, com mais clareza, dos parágrafos 811 ao 870, temos a explanação clara de tudo o que a Igreja é e os motivos para crer no que ela crê e ensina.

São inúmeros os parágrafos que podem nos iluminar. Então, ainda que afirmando fortemente que todo o contexto é lindíssimo e necessário de estudo, apaixonante e traz a alegria de crer, para dar uma degustação, uma motivação de acreditar no que crê e ensina a Igreja, poderíamos ressaltar o parágrafo 816:

“A única Igreja de Cristo […] é aquela que o nosso Salvador, depois da ressurreição, entregou a Pedro, com o encargo de a apascentar, confiando também a ele e aos outros apóstolos a sua difusão e governo […]. Esta Igreja, constituída e organizada neste mundo como uma sociedade, subsiste (subsistit in) na Igreja Católica, governada pelo sucessor de Pedro e pelos bispos em comunhão com ele”.

Faz-se necessário exortar que, por esta universalidade da Igreja e também sua capacidade materna de acolher a todos, os “filhos da Igreja” nem sempre escutam ou querem dela aprender de forma correta a Verdade a ser transmitida. Desta forma, opiniões, visões e posicionamentos de cunho muito pessoal acabam se ressaltando e interpretando de forma equivocada o que a Igreja quer expressar.

Diante disso, a recomendação mais correta é sempre ir às fontes. Não se satisfaça com o que escutar ou ler em algum artigo na internet (nem mesmo este). Vá às Fontes! Elas estão disponíveis nos canais oficiais da Igreja, em especial no site do Vaticano, onde temos acesso gratuito e livre à toda imensa riqueza dos ensinamentos da Mãe Igreja.

Caso tenha dúvida de interpretação, peça auxílio ao Espírito Santo para que lhe ajude a compreender, ou ainda, o iluminar para procurar alguém de reta doutrina, um sacerdote, um leigo mais bem formado, acima de tudo, alguém que testemunhe com a Fé e atos de caridade uma reta doutrina, que poderá, com certeza, lhe ajudar a compreender mais e melhor o que crê e ensina a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Santo Agostinho tem uma famosa frase que diz: “Só se ama aquilo que se conhece!”. Por isso, não tenha dúvidas: conhecendo mais, amará ainda mais a sua Igreja, a sua Mãe, o Corpo de Cristo do qual você é membro inseparável pelo Batismo e que lhe quer saudável e santo na espera da vinda gloriosa dAquele que vem para unir-se à Sua Esposa que é a Igreja, então, haverá um só pastor e um só rebanho (cf. Jo 10,16).

Seu irmão,

Júlio Neto
Missionário da Aliança de Misericórdia.

Siga o Júlio Neto no Instagram e participe da live “Quebrando Muralhas”, quinzenalmente às terças-feiras, a partir das 20h, nas redes sociais da Aliança de Misericórdia.

0 Comments

    Leave a Comment

    três × 1 =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password