Palavra do Mês de Junho: José – o homem do Sim Incondicional

Podemos acompanhar na leitura do Evangelho de São Mateus 1,24, a seguinte citação: “José, ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu em casa sua mulher”. Em que situação e dúvida desconcertante se encontra José diante da nova realidade com Maria! Se afasta ou não? A acolhe ou não?

A profundidade da escolha de José

Você também pode escutar a Palavra do Mês no Spotify:

Deus, contudo, conhecia seu coração e permitiu tais circunstâncias para que José revelasse, testemunhasse sua fidelidade e confiança nEle. Podemos perceber situações semelhantes em outras citações bíblicas que apresentam as mesmas características de José (cf. Mt 2, 14 e Mt 2,21).

Gostaria, portanto, de chamar a atenção, para nos aprofundarmos neste trecho do Evangelho de Mateus pela qual muitas vezes passamos com superficialidade.

É fácil dizer que José acolheu Maria em sua casa. Mas quantas dúvidas ele teve? Antes que eles coabitassem embaixo do mesmo teto, José a assumiu plena e conscientemente, aceitou todas as consequências que sua decisão pudesse acarretar-lhe no futuro. Ele também consumou a sua entrega a Deus ao receber a Virgem Maria. A renúncia de tudo, exceto a ela, o conformar e achar-se feliz respeitando sua intimidade com Deus, nos ensinam o valor da verdadeira oferta, do amor mais limpo, mais solícito e puro. Tudo entregue por um amor. Um amor e uma confiança cega nAquele ao qual ele mais temia e amava: Deus.

“… ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara”
(Mt 1, 24).

 

José: o homem que confiou

Esta confiança incondicional à Vontade Divina, ao serviço do Menino que estava para chegar e à Sua Mãe, é para nós modelo de abandono e ao mesmo tempo de uma forte luta e ânimo para enfrentar as adversidades que viriam em sua nova vida a partir daquele “sim”.

José assumiu e respondeu pessoalmente a cada e a todas as dificuldades. Jamais se queixou. Pelo contrário, talvez tenha considerado o enfrentar tudo e todos como um privilégio por ser tão amado por sua esposa e por Deus. Confiou e acreditou em Suas promessas.

Eu me lembro, em um momento de minha vida onde passei por conflitos e dúvidas ao sentir o chamado de Deus para o sacerdócio. Foram três meses de ‘inferno’! Tudo era confuso. Estava perdido sem saber o que fazer e não tinha nenhum sacerdote que pudesse me ajudar. Tudo era obscuro! José também estava sozinho!

Como homem que desejava com todo coração seguir as ordens de Deus, teve que confiar e seguir em diante. Um verdadeiro drama que, compreendido à luz da Sabedoria Divina, se torna um verdadeiro testemunho para nós e um convite à escuta ao que Deus nos chama: a confiar!

“… ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara”
(Mt 1, 24).

A obediência de José

José em sonhos recebe pedidos, ordens, iluminações e, diante de tudo, obedece!

Esta é uma característica que acompanha os grandes personagens da Bíblia. Abrãao obedece quando Deus lhe pede para sacrificar o seu filho da promessa. Moisés obedece. Josué obedece, confia. Maria, a mãe de Jesus, obedece sem saber seu futuro: ela só confia na Palavra! José, igualmente, obedece.

Outra vez visitado em sonho pelas incertezas e confusão, ele teve que exercitar a confiança na Palavra do Senhor indo para o Egito: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito. Fica lá até que eu te avise” (Mt 2,14). Uma revelação acompanhada de um mandato que os obrigava a agir antes de perceberem o que acontecia. O considerado desconcerto exigia mais confiança de José. Contudo, não paralisou com isso e diante de uma única luz que iluminava seu coração, a luz da confiança e da obediência a Deus, prosseguiu.

“… ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara”
(Mt 1, 24).

Para refletir

Paremos e pensemos um pouco: o fato de sermos confiantes, obedientes e simples potencializa a escuta ao convite de Deus. Mas, estamos prontos para termos esta escuta? Para sermos os últimos? Desejamos? Ou buscamos todas as certezas e seguranças para enfrentarmos as prováveis situações e não sermos abandonados como José?

O quanto nossa confiança está distante de tal semelhança da confiança de José?

Como nos comportamos ao enfrentarmos as situações familiares, de trabalho? Digamos a verdade: somos abandonados em Deus?

E neste contexto, qual é o segredo de José para perder tudo, até o que pensava? Confiar e abandonar plenamente os medos a Deus! Aqueles que se põem a confiar em sua própria inteligência não conseguem ouvir a voz de Deus e nem se deixarem guiar livremente por ela. Não A conhecem. Não A experimentam. O segredo de José é que ele A conhecia e este conhecimento lhe certificava: Deus é Amor e não abandona seus filhos!

Em Deus isso é uma verdade e não um ideal! Não é uma emoção ou sentimento, mas algo concreto. José tem claro que sua história não é separada do amor de Deus, do amor que o Pai tem por ele! Ele sabe com sabedoria renunciar todas as seguranças para se abandonar no Pai do Céu.

“… ao despertar do sono, agiu conforme o Anjo do Senhor lhe ordenara”
(Mt 1, 24).

Estamos prontos a dar o SIM incondicional?

Eu sinto que este testemunho é para nós o ensinamento mais profundo e verdadeiro que José poderia nos oferecer. Obedecer é confiar! Obedecer é saber que sendo filhos do Pai, nunca seremos abandonados, contudo, precisamos estar firmes nEle! Com isso, Ele terá a possibilidade de nos conduzir a uma experiência de abandono e confiança.

Vocês bem entendem: precisamos de uma mudança radical em nosso modo de pensar e agir. Não devemos só agir quando tivermos em nossas mãos as rédeas da vida. Não!

A história nos ensina que desde Adão e Eva, esta busca do total controle nos conduz à tristeza, egoísmo e até à morte. Perceba: Caim que mata Abel, entre tantas outras desordens que nascem com o fruto do pecado original. Porque, então, não aprendemos olhando para esta história? Pergunto ainda para mim e para vocês: por que não aprendemos olhando para nossa história?

Nós somos filhos de um Pai que nos ama. José entendeu isso e obedeceu sem dominar seu futuro. Seu SIM INCONDICIONAL o tornou amado! Será que poderíamos dar este “sim incondicional” ao nosso Pai do Céu? Temos esta convicção para respondermos a esse convite e confiarmos nEle?

Podemos aceitar se estivermos dispostos a sonharmos os sonhos dEle.

Pe. Antonello Cadeddu
Fundador da Aliança

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password