Palavra do Mês| A Porta das Águas

O texto do Profeta Neemias relata que Esdras e o escriba, ultrapassando o palácio de Davi, chegaram à “porta das águas” (Ne 12,37). Esta porta está localizada na parte do Sul-leste da esplanada do templo e uma de suas caraterísticas é que não foi restaurada, nem alterada, mas somente arrumada. O nome dela nasce do fato que necessariamente os servos do templo passavam por aquela porta para levar a água da fonte de Ghion para os sacerdotes quando faziam as abluções ou os sacrifícios (Cf. 1Rs 1,33.45; 2Cr 32,30).

Cristo é a Porta

A nível espiritual, podemos logo afirmar que a porta simbolicamente é o Cristo. A Palavra dEle não pode mudar ou ser demolida ou modificada, mas é eterna, imutável: “Eu sou a porta, se alguém entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e achará pastagem” (Jo 10,7-9).

Todos sabemos da importância de uma porta. Para entrar na minha casa certamente devo passar por uma porta, assim como para ir numa Igreja, num estádio, enfim, eu devo passar aquela estrutura para entrar e me sentir em casa, ou no trabalho, ou parte de um jogo de futebol que está acontecendo. A Palavra de Jesus diz que uma pessoa poderá chegar ao Paraíso somente se passar através da porta que é Ele.

Os portadores de água passavam pela porta das águas para realizar os ritos, as orações, as abluções no templo. Assim deve acontecer conosco também, devemos passar através de Jesus, a nossa Porta da Salvação, para celebrar a vida que está nEle, a vida que vence a morte.

Que portas estamos abrindo?

Vamos refletir um pouco: quantas portas erradas criamos ou temos na nossa vida? Quantas portas erradas que abrem muitos links na internet ou controles remotos que abrem programas na televisão que somente atrapalham a nossa vida? Quantos cartões de crédito, portas do “deus dinheiro”, que destroem a nossa vida e a vida da nossa família?

Não nos esqueçamos que Jesus é nossa única porta que leva ao céu. Então, precisamos permanecer diante de Jesus, a porta da água viva, para receber dEle a água e saciar nossa sede. Ele nos diz que aquele que permanecer nEle dará muitos frutos, porque sem Ele nada podemos fazer (Cf. Jo 15,5).

Sem dúvidas, para nós como Aliança de Misericórdia é uma obrigação, uma necessidade de nos enchermos desta Água Viva para evangelizarmos. Precisamos escutar, ler, meditar, estudar a Palavra de Deus. A evangelização acontece se é ligada, amarrada às Palavras de Jesus, pois Ele é a nossa porta, e para ela convidamos muitos homens e mulheres para saciarem sua sede.

Mergulhar e se aprofundar

Precisamos mergulhar no conhecimento destas águas, beber dela para gerar frutos em abundância. Nossa família Aliança de Misericórdia deseja falar, pregar a Palavra, mas sem o mínimo de preparação ou aprofundamento isso não terá eficácia. A Palavra deve ser lida, meditada, estudada e vivida principalmente por quem tem o carisma de pregar. A pregação deve nascer de uma vida vivida na Palavra, permanecendo diante desta porta das águas que é Jesus.

No trecho de Neemias, vimos também que os servos do Templo passavam por aquela porta para levar a água também para o povo de Jerusalém. Os servos de Jesus hoje, como ontem, são chamados a levar a água para todos, água que é a Palavra do nosso mestre Jesus.

“Quem beber desta água que eu darei, nunca mais terá sede” (Jo 4,14).

Os evangelizadores são chamados a passar por esta porta para que o anúncio possa ser frutuoso. Lembrando sempre que a água purifica, tira a sede, lava, dá vida, frutos. O povo de Deus necessita desta água para ser purificado, lavado, para ele ter vida em abundância e encontrar a paz no coração.

Creio que seja muito importante e interessante o que dizem para nós os moradores de rua quando realizamos a evangelização de rua: “não precisamos que vocês nos tragam a comida, são muitos já que fazem isso, nós necessitamos da Palavra de Deus que sempre vocês nos oferecem”.

Palavra que gera vida

Devemos compreender que tantos jovens ou adultos se drogam ou entram na delinquência porque não encontram alguém que leve para eles a água da Palavra. A Palavra que dá sentido a vida, traz esperança. Lembramos quando Jesus convida os apóstolos, que tinham voltado da evangelização a descansar. Como vão na outra margem do lago, se deparam com uma multidão de pessoas. Jesus comovido, vendo que são como ovelhas sem pastor, começa a pregar a Palavra e curar muitos doentes.

Outro elemento espiritual que podemos tirar para a nossa vida olhando a porta das águas, é o fato que os portadores da água entravam e saíam desta porta. Os evangelizadores não podem viver somente dentro do templo, das igrejas, dentro das sacristias, porque necessitam levar a água para o coração de tantos homens e mulheres dos nossos dias.

Ide ao mundo!

Sempre, os missionários da Aliança de Misericórdia têm como práxis, anualmente sair pelo mundo sem nada, somente com o Evangelho, seguindo o mandamento de Jesus que mandou os seus discípulos dois a dois pra anunciarem a Palavra e anunciar que o Reino dos céus estava próximo (Mt 10,7). Os discípulos voltaram cheios de alegria vendo os milagres acontecerem, a mesma coisa acontece com os missionários da Aliança. Sempre voltam com o sorriso, tendo experimentado a potência da misericórdia de Jesus. Saem da porta da fraternidade, duma vida que poderia se tornar acomodada, pra levarem a água, a Palavra para quem tem sede.

“Quem beber desta água que eu darei, nunca mais terá sede” (Jo 4,14).

É lindo ler o livro de Neemias quando o sacerdote leu a Torá fora da porta das águas para o povo que tinha voltado da escravidão. O povo exultou de alegria, louvando, cantando, adorando experimentando novamente aquilo que tinham perdido, finalmente podiam entrar novamente através da porta das águas para rezar no Templo do único Deus. Nós também devemos vibrar de alegria louvando, porque podemos voltar ao Templo oferecendo o mundo ao nosso Senhor Jesus Cristo.

Pe. Antonello Cadeddu
Fundador da Aliança de Misericórdia

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password