Origem da Festa da Misericórdia

Um dia para celebrar o Amor Misericordioso

Desde do ano 2000 a Festa da Misericórdia entrou no calendário de toda a Igreja Católica Latina, através de são João Paulo II. Mas, por que dedicar um dia para a Misericórdia Divina? Para responder esta pergunta vamos entender o que é a Misericórdia.

Hoje em dia confundimos misericórdia com ter dó ou pena e não é bem assim. Estas últimas são reações humanas diante do sofrimento de outrem, pois temos esta capacidade de sermos atingidos por uma situação de que nos faz sofrer sem o nosso consentimento.

Deus não sofre com a dor como nós, Ele é perfeito e nada há acima dele nem sentimentos. Tudo n´Ele é Vontade, ou seja, toda ação de Deus desde a criação é expressão do que Ele é. E um dos seus atributos mais significativos é ser Misericórdia.

Tudo bem, mas se Deus não sofre, por que Jesus sofreu sendo Ele Deus? O mistério da vida de Jesus (Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição) é a expressão máxima do amor de Deus, pois, Ele se fez homem e quis (Vontade Divina) sofrer como nós, menos no pecado, para trazer-nos de volta à comunhão com o Pai.

Origem da festa litúrgica

Dito isto, vamos retornar aos motivos pelos quais celebrarmos essa Festa. Tudo começou numa aparição de Jesus à santa Faustina, no ano de 1933, a 22 de fevereiro. Jesus apareceu-lhe dizendo as seguintes palavras:

“A minha imagem já está na sua alma. Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia e quero que esta imagem seja abençoada solenemente”. (Diário de santa Faustina parágrafo 49).

Jesus pediu a ela que pintasse uma imagem (a que hoje nós conhecemos como Jesus Misericordioso) de acordo com a visão que estava tendo. Vestido com túnica branca, do seu peito aberto sai dois raios, um de cor pálida e outro vermelho, mostrando que a água e o sangue ainda brotam de seu coração e Ele anseia derramar esta graça sobre cada um de nós.

Que bom é podermos festejar o Amor de Deus, contemplar esta imagem e receber dela o consolo e graças. Aproveitemos também este dia para retornarmos com mais fervor a Deus através do sacramento da confissão, pois é o mínimo que podemos fazer diante de tanto amor.

Viva o Amor Divino, viva a Misericórdia de Deus!

Fernanda Tabosa

Colaboradora Aliança de Misericórdia

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password