fbpx

Missionários da Aliança na Polônia acolhem refugiados ucranianos

Como temos acompanhado pelos noticiários e pelas redes sociais, o conflito entre Rússia e Ucrânia tem feito muitas vítimas: homens, mulheres, crianças, famílias que têm fugido para países próximos. A fraternidade da Aliança na Polônia, acolheu uma família de refugiados ucranianos e o Movimento (Aliança, Amigos e participantes) tem ajudado com suprimento e cuidado nos alojamentos.

Movimento sendo misericórdia

Movimento na Polônia acolhe refugiados ucranianos
Fonte: AGENCJA wyborcza.pl

Os missionários da Aliança presentes em terras polacas, nos falaram, via aplicativo de mensagens, sobre esse momento:

“Queridos irmãos, queríamos partilhar um sinal muito forte de Deus para nós, aqui da fraternidade da Polônia

Existe uma tensão no ar, por causa da proximidade com a Ucrânia, mas os poloneses, graças a Deus, estão dando um show de solidariedade… desde que os ataques começaram, as fronteiras estão abertas para os ucranianos e a previsão é que em torno de 3 milhões se abriguem aqui, e depois para algum lugar da Europa. Mas as estações de trem já têm grupos preparados com comida, roupas, cobertores e tudo mais (eles estão chegando praticamente sem nada!). Todo o Movimento nas cidades, e principalmente os de Varsóvia, estão se mobilizando para ajudar nas escolas onde estão acolhidas as crianças e na busca por alojamento para estas pessoas”.

Presença da Imaculada

Ícone da Imaculada escrito por monge ucranianoAinda sobre o atual momento, os missionários partilharam sobre a chegada de um ícone da Imaculada do Espírito Santo, considerada como fundadora do Movimento Aliança de Misericórdia, e que foi escrito (pintado, desenhado) por leigo católico ucraniano:

“Mas um sinal muito forte pra todos nós da fraternidade, é que um ícone da Imaculada do Espírito Santo chegou na nossa casa (ele tinha sido encomendada há um bom tempo, a pedido de um padre daqui, como presente para nós… O ícone foi escrito por um leigo ucraniano, e chegou na nossa casa no mesmo dia que a família de refugiados!).

Foi um sinal tão forte pra nós da presença de Maria conosco e também do quanto precisamos, na nossa pequenez, ser sinal para esse povo!!”.

Saiba mais sobre a Imaculada do Espírito Santo

Acolhida de refugiados ucranianos

Os missionários ainda relataram a chegada de uma família de refugiados ucranianos. Uma criança e seus pais estão sob os cuidados da Fraternidade da Aliança na Polônia.

“Por agora, acolhemos uma família aqui na nossa casa de Poznan (os pais e uma criança de 7 anos) – o pai estava aqui na Polônia trabalhando e a mulher e a filha vieram desesperadas depois dos ataques… elas disseram que ficaram praticamente todo o tempo da viagem sem poder comer, apertadas no trem, esperando ultrapassar a fronteira (mais ou menos 17 horas) e as coisas se acalmaram depois que chegaram na Polônia… mas a viagem durou em torno de 26 horas!”.

Enquanto um missionário tiver cama…

Pe. Pedro Morais, responsável pela missão na Polônia também nos falou sobre a ‘alegria’ em poder acolher e ser ponte de misericórdia para esses irmãos. Seja a Comunidade de Vida ou o Movimento com os leigos, todos estão à disposição dos que chegam:

“Na Polônia, a vida está normal, mas todos, lógico, com essa sensação da guerra que pra eles – poloneses – é um pouco mais difícil pois na história desse povo eles carregam também marcas da guerra, do comunismo russo, então, isso é bem difícil.

Pra nós, foi um grande sinal de Deus – a chegada do ícone da Imaculada que agora está na capela da fraternidade – porque logo no dia que começou a guerra, chegou o ícone feito por um ucraniano (…) E, de presente, logo, quando foi nesse domingo, nós recebemos uma família para acolher e abrimos as portas para acolher outras famílias, outras pessoas.

A Comunidade, graças a Deus, está tendo muitas iniciativas. Em Varsóvia, as pessoas estão ajudando; aqui em Poznań também estamos fazendo coleta de alimentos, de medicamentos, de roupas. Tem outra Comunidade nossa em Toruń que está fazendo arrecadações, está com portas abertas também para acolher as pessoas. Enfim, como a Comunidade está dizendo aqui, a Aliança não vai apenas para as ruas, mas escancara as portas das suas casas para poder acolher os pobres e os refugiados.

Alguns membros estão na equipe que procura as pessoas em Varsóvia para acolher as famílias e as encaminhando para os lugares, albergues, hotéis, que se abriram totalmente para poder acolher esse povo”.

A radicalidade do Carisma

“Estamos muito felizes pois é um sinal de Deus. E para nós aqui, é uma forma de viver radicalmente o carisma, né? Porque nós ouvimos dos fundadores sempre que, ‘quando existe a cama de um missionário, então, existe um lugar para acolher alguém’. E nós fizemos também essa escolha que, enquanto tivermos uma cama nossa ‘vazia’, tem um espaço para acolher um refugiado. Então, nossa casa está aberta para acolher a todos.

É o momento de viver o carisma genuinamente!

Estamos rezando, muitas iniciativas de oração, adoração, Cerco de Jericó, enfim. O povo se une para pedir a paz no mundo, mas também para abrir os corações e ser sinal de misericórdia“.

Jejum pela paz

Nos aproximando da Quarta-feira de Cinzas, lembremo-nos do apelo do Papa Francisco, para que nos unamos como cristãos, para rezarmos pedindo pela paz.

O Sumo Pontífice convocou, então, todo o povo de Deus para que ofereça o jejum do início da quaresma (que é ‘obrigatório’ para os católicos na Quarta-feira de Cinzas) pela paz no mundo e, em especial, pelo fim da guerra entre Rússia e Ucrânia.

“Eu quero fazer um apelo a todos, crentes e não crentes. Jesus nos ensinou que à insistência diabólica, à diabólica insensatez da violência se responde com as armas de Deus: com a oração e o jejum. Convido a todos a fazerem no próximo 2 de março, Quarta-feira de Cinzas, um dia de jejum pela paz. Encorajo, de modo especial os crentes a se dedicarem intensamente à oração e ao jejum naquele dia. Que a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra”, disse Francisco.

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password