Minhas orações são ouvidas por Deus?

Minhas orações são ouvidas por Deus?

“Pedi e vos será dado; procurai, e encontrareis; batei, hão de abrir-vos. Pois, quem pede, recebe; e quem procura, encontra; e ao que bate, hão de abrir” (Mt 7, 7-8).

Esta palavra bate em nossas cabeças toda vez que rezamos a Deus. Muitas vezes, porém, nossas orações não são ouvidas. Por que? Pedimos mal, não seguimos alguma fórmula certa? São Tomás de Aquino nos dá várias pistas na Suma Teológica.

Nela, ele aponta quatro passos para saber se sua oração será ou não atendida por Deus:

  1. Pedir para nossa salvação

Tudo o que pedimos deve estar atrelado à nossa salvação. Pedir coisas que não são úteis para a bem-aventurança, não nos faz merecê-las. São Tomás aponta que o melhor é pedir pelas nossas necessidades diárias.

Ex.: Pedir um coração misericordioso, para ter paciência, para perdoar as pessoas que nos fizeram sofrer, pedir a virtude da perseverança para enfrentar as dificuldades, etc. Deus com certeza, vendo o bom propósito do coração dará o que precisas.

Quando nos dirigimos ao Pai para Lhe falar das nossas necessidades temporais, nossa confiança nEle aumenta e provoca na alma um estado de sossego. “Vosso Pai celestial sabe do que tendes necessidade” (Mt 7, 32).

  1. Pedir graças para nós mesmos
    Digamos que estamos fazendo certo o primeiro ponto, porém, pedir virtudes para outras pessoas a história muda. Podemos pedir que Deus a proteja, a livre do mal, mas não nos colocarmos no lugar dela no relacionamento com Deus.

Explicamos: segundo São Tomás de Aquino, não podemos “merecer” a salvação de outra pessoa, ela mesma deve, de livre vontade, desejar o céu, pedir virtudes.

É a tal história de que a graça pressupõe a natureza: “Deus que te criou sem ti, não te salvará sem ti” (Santo Agostinho).

O que não significa que não devamos orar pelos outros (em outras partes da própria Summa, Aquino nos exorta a orar pelos outros), todavia, estas orações nem sempre serão garantidas.

  1. Orar com piedade
    São Tomás define a piedade como honrar e adorar a Deus. A honra que damos aos nossos pais é um modelo a esse respeito (ver Parte II da Parte II, Questão 101, Artigo 1).

Devemos orar sem cessar, mas Aquino sugere que a oração, para ser atendida de fato, deve ser acompanhada de boas obras (ver Parte II da Parte II, Pergunta 83, Artigo 15, Resposta à Objeção 2).

Na Questão 101, ele explica que boas ações são consideradas parte da piedade, citando a Cidade de Deus de Agostinho, citando as obras de misericórdia. (Livro 10, Capítulo 1).

  1. Orar com perseverança
    A última razão pela qual podemos não receber o que pedimos, é simplesmente por que paramos de pedir, diz Aquino.

Mais uma vez, São Tomás cita Agostinho para explicar este ponto: “Certas coisas não são negadas, mas são adiadas para serem concedidas no momento oportuno” (Tratado 102 em João 16, 23-28).

Os quatro critérios descritos asseguram que a oração é ouvida, mas a última nos lembra que, mesmo que tenhamos uma certa resposta garantida, não há garantia de quando isso acontecerá.

Resumindo:ore por si mesmo, peça coisas necessárias para a salvação e que o faça com piedade e com perseverança“.

Então, sua oração está no caminho certo? Saber disto trará grande consolo para alma, mas esteja preparado: se pedirmos ao Criador do universo a coisa certa, no caminho certo, nós a alcançaremos, por isso, preste atenção no que você pede!

Aleteia/Itália

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password