8 razões para viver momentos de abstinência sexual no casamento

Falar de abstinência pode parecer chocante hoje em dia. Muitos podem pensar que esta sugestão é feita por quem não gosta de sexo, é frustrado, mas é exatamente o oposto.

O verdadeiro amor se expressa por gestos

Muitos sexólogos e conselheiros matrimoniais, como o norte-americano Ian Kerner, acreditam que a abstenção do sexo em determinados dias, de maneira voluntária, ajudam os cônjuges a despertar paixão em seu relacionamento.

Eles conseguem desfrutar plenamente do amor e da vida conjugal.

Mas como isso é possível? A abstinência sexual realmente aumenta a paixão em um relacionamento? Sim, os casais que decidirem se abster de alguns dias por mês terão os seguintes benefícios:

1- Cresce o interesse e atração
Ter um período de abstinência gera uma expectativa no casal e cria um sentimento muito especial antes da relação sexual. É chamado de “efeito Lua-de Mel”, definido pelo biólogo Bruce H. Lipton como “um estado de bênção, paixão, energia e saúde resultante de um enorme amor”. Por exemplo, o planejamento de filhos através dos métodos naturais, despertam um interesse e uma atração que estimula a paixão e a espera pelo encontro com o outro.

2- Afagos e carícias
Beijar, abraçar, dar as mãos ou simplesmente ficar juntos podem ser expressões muito fortes do amor.
O afago ou “cafuné” é uma maneira de expressar intimidade sem necessariamente atingir um orgasmo.

À noite podem se abraçar e adormecer nos braços do outro sem ir além. Isso estabelece um vínculo profundo e demonstra afeição e apoio mútuos.
Geralmente, um casal pode demonstrar o amor de muitas maneiras. Sem negligenciar o aspecto físico que é importante, o casal pode explorar novos territórios, que estão relacionados mais à ternura do que à união sexual.

Evitando o amor ocasional, o casal se comunicará e viverá seu relacionamento de outra maneira e poderá lançar as bases para um relacionamento duradouro.

3- Diálogo
A ignorância e a falta de diálogo sobre gestos ou carinho que estimulam os cônjuges são muitas vezes a causa da falta de harmonia nas relações sexuais. Falando abertamente, os cônjuges aprenderão a conhecer-se e respeitar-se. Porque, de fato, o que pode ser excitante para um, pode ser sentido de maneira muito diferente pelo outro.

4- Ter atividades comuns
É importante ter atividades como caminhar, assistir a um filme ou ter tempo para discutir e planejar os próximos dias.

Essas atividades criam conexões, estimulam a comunicação e ajudam a manter um contato mais ativo. Isso tira o peso da rotina diária que muitas vezes estressa e provoca tensões na convivência.

Elas também ajudam os cônjuges a terem mais confiança e noção de como está o relacionamento, já que as relações sexuais por si só não são suficientes para isso.

5- Conheça o ritmo sexual do seu cônjuge
A abstinência ocasional permite que os conjuges se conheçam e esperem pelo outro, compreendam os ritmos sexuais um do outro e reforcem sua fidelidade quando estão separados, mantendo o desejo pelo outro.

É porque se conhece os aspectos biológicos específicos de homens e mulheres. Da mesma forma, o conhecimento da biologia humana é aprofundado pela prática dos métodos naturais; mulheres tem períodos onde sentem mais ou menos desejo sexual, homens estão sempre prontos para um relacionamento, nesta diferença acontece o diálogo e se aprofunda o conhecimento.

6- Além do ato sexual, o presente mútuo
A união sexual deveria ser a expressão de uma profunda intimidade e doação mútua. Quando amamos, todas as potencialidades da afetividade e da sensualidade são exploradas ao máximo.

Dizer ao amado “Eu te amo com tudo o que você é” é uma experiência profundamente espiritual, emocional e psicológica. Quando esses estados de espírito prevalecem em um relacionamento e é reafirmado na vida cotidiana, ele permite que o casal desenvolva uma confiança inabalável.

7-Fale sobre suas frustações
O que seu cônjuge pensa sobre a abstinência? Você pode falar sobre isso e aprender mais sobre seu parceiro. Ao “desabafar” a frustração, o casal pode começar a reconhecer o que mais preocupa o outro e pode trabalhar tais dificuldades.

Nem todos os problemas são resolvidos sob o edredom. A solução vem com o tempo e em etapas, agir por impulso, não resolve nada.

8- Buscar força espiritual
Os cônjuges que buscam esse equilibrio crescem espiritualmente e se tornam melhores amantes: eles não usam o parceiro para a sua satisfação; longe de explorar o outro, o amor mútuo é antes de tudo, sinal de que se amam e por isso mesmo, se rendem um ao outro.

A prática espiritual mais importante no casal seja talvez a oração. Ela é essencial do desenvolvimento e fortalecimento de ambos.

Segundo fonte de Aleteia/França

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password