3 dicas de Santa Teresinha para acelerar no caminho de santidade

3 dicas de Santa Teresinha para acelerar no caminho de santidade-home

Nenhum santo fala tanto ao nosso coração quanto Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, ou simplesmente Santa Teresinha.

Por quê? Sua espiritualidade classificada como “Infância espiritual” lhe rendeu o título de “Doutora da Igreja” e é acessível a todos, do menor ao maior. Todos podem seguir os passos desta pequena grande santa.

A infância espiritual nada mais é do que a pessoa que, reconhecendo-se limitada para grandes práticas espirituais, procura depender única e exclusivamente de Deus Pai, num ato total de abandono e confiança em Suas mãos.

Não se angustie se seus trabalhos não dão o resultado humanamente esperado, mas se alegre ao saber que o Pai vê e conhece profundamente seu coração e suas intenções.

Teresa não escondia de ninguém o quanto se via limitada e incapaz, e mesmo assim, o seu abandono dava-lhe forças para alçar os altos voos da santidade.

Um Caminho completamente novo

Todos nós nos sentimos assim não é verdade? Limitados, sem forças e incapazes, muitas vezes, de realizarmos as obras de Deus. Mas o caminho novo apontado por Santa Terezinha pode ser a resposta às nossas angústias.

Neste simples texto endereçado à madre superiora, ela dá dicas de como acalmar a alma desejosa por uma via muito simples e até mesmo rápida:

Bem sabeis, minha Madre, que sempre desejei ser santa. Mas, ai de mim! Sempre verifiquei, ao comparar-me com os santos, que há entre eles e eu a mesma diferença que existe entre uma montanha, cuja cume se perde nos céus, e o obscuro grão de areia pisado pelos pés dos caminhantes” (HISTÓRIA DE UMA ALMA, MS C 2Vº).

1 – Desejo

Não adianta nada fazer algo, se matar por aquilo que não está de verdade no centro do nosso desejo. A pergunta aqui é: Você deseja ser santo? Seja sincero!

Dormir e acordar, agir e calar pensando em como agradar a Deus, desejar a santidade deve ser a base da nossa vida. Você está pronto para o segundo passo?

2 – Consciência profunda de quem você é

Terezinha, ao se comparar com os santos (provavelmente procurando algum exemplo a seguir), percebeu que suas capacidades estavam aquém daquilo que foi exigido deles. Ela, por exemplo, admirava muito São Paulo Apóstolo e os santos mártires. Ela queria partir em missão e pregar a salvação aos povos.

Porém, como diz uma expressão corriqueira, ele se enxergava, tinha “semancol”. Sabia que não poderia replicar nem metade daqueles feitos. Ela era simplesmente Teresinha.

Isso também não quer dizer que sua autoestima era baixa ou estava “fugindo da raia”. Isso vamos conferir mais à frente.

Continuando. Quando se começa no caminho da santidade é necessário conhecer-se bem, conhecer sua personalidade, onde o seu calo aperta, quais são seus limites, defeitos e qualidades. Senão, na primeira derrapada, tudo desmorona e o desanimo toma conta e então, adeus caminho de santidade.

Continuemos com o texto da nossa santinha:

“Em vez de desanimar, disse para comigo: Deus não pode inspirar desejos irrealizáveis. Posso, portanto, apesar da minha pequenez, aspirar à santidade.

Fazer-me crescer a mim mesma é impossível; tenho de suportar-me tal como sou, com as minhas imperfeições.

Mas quero procurar a maneira de ir para o Céu por um caminho muito direto, muito curto; um caminho completamente novo” (HISTÓRIA DE UMA ALMA, MS C 2Vº).

3 – Determinação

De boba, Santa Terezinha não tem nada. Sua personalidade era forte e apesar de uma aparente fragilidade, sabia muito bem o que queria. Isso se refletiu no seu caminho de santidade.

Aqui ela nos ensina que mesmo vendo suas fraquezas com clareza, isso não a fez desistir de seu propósito de ir para Céu. Pelo contrário, isso foi um impulso para descobrir o novo caminho.

Por fim, descobriu o caminho

Nesta carta ela revela finalmente o que vai elevá-la a uma santidade perfeita e deixa para nós essa herança:

“Estamos num século de invenções. Agora já não se tem a maçada (o esforço) de subir degraus; em casa dos ricos o ascensor (elevador) substitui-o vantajosamente. Eu queria também encontrar um ascensor que me elevasse até Jesus, porque sou demasiado pequena para subir a rude escada da perfeição.

Então, procurei nos livros sagrados a indicação do ascensor – objeto do meu desejo –, e li estas palavras saídas da boca da sabedoria eterna: se alguém for pequenino, venha a mim.

Então, aproximei-me, adivinhando que tinha encontrado o que procurava, e querendo saber, ó meu Deus!, o que faríeis ao pequenino que respondesse ao vosso apelo.

Continuei as minhas buscas, e eis o que encontrei: – como uma mãe acaricia o seu filho, assim eu vos consolarei; levar-vos-ei nos meus joelhos! Ah!, nunca palavras tão ternas e tão melodiosas me vieram alegrar a alma.

O ascensor que me há de elevar até ao Céu, são os vossos braços, ó Jesus! Para isso não tenho necessidade de crescer; pelo contrário, é preciso que eu permaneça pequena, e que me torne cada vez mais pequena.

Ó meu Deus! Excedestes a minha esperança, e eu quero cantar as vossas misericórdias (HISTÓRIA DE UMA ALMA, MS C 3Rº)”.

Num tempo em que tantas pessoas se encontram desanimadas consigo mesmas, sem esperança, Santa Teresinha aparece como uma excelente companheira na luta diária pela santidade.

Santa Terezinha do Menino Jesus, rogai por nós!

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password