Um milagre de Santa Clara

Estamos às vésperas de celebrar a memória de Santa Clara de Assis e nós separamos um trecho do livro Fioretti, contos dos primeiros franciscanos. Deixe-se se encantar por este milagre realizado pelo graça da obediência.

Como Santa Clara, por obediência ao Papa, benzeu a mesa, e como, por milagre de Deus, apareceu em cada pão desenhada uma Cruz

Santa Clara, devotíssima discípula da Cruz de Cristo e nobre planta do senhor S. Francisco, era de tanta santidade, que não somente os bispos e cardeais, mas até o Papa, desejavam, com grande afeto, vê-la e ouvi-la, e este último visitava-a muitas vezes. Entre outras, veio uma ocasião ao mosteiro para a ouvir falar das coisas celestiais e de Deus; e enquanto assim estavam em divinos colóquios, mandou Santa Clara preparar a mesa, e pôr nela o pão, para que o Padre Santo o benzesse. Pelo que, terminada a colação espiritual, ajoelhou-se a Santa com grande reverência e pediu-lhe que se dignasse abençoar o pão, que estava na mesa. Respondeu-lhe o Papa: – Sóror Clara, fidelíssima, eu quero que tu abençoes este pão, e sobre ele faças o sinal da Cruz de Cristo, a quem inteiramente te hás consagrado. – Perdoai-me, Santíssimo Padre, respondeu Santa Clara, seria digna de mui grande repreensão, se eu, vil mulherzinha, presumisse dar tal bênção, diante do Vigário de Jesus Cristo. E o Papa retorquiu: – Para que te não seja isto imputado a presunção, senão a mérito de teres obedecido, mando-te, em virtude de santa obediência, que, sobre estes pães, faças o sinal da santa Cruz, e os abençoes em nome de Deus. Então Santa Clara, como verdadeira filha da obediência, abençoou devotíssimamente aqueles pães com o sinal da santa Cruz. E – coisa admirável! – imediatamente em todos os pães apareceu o sinal da cruz belissimamente impresso; e daqueles pães, parte foi comida e parte conservada, por causa do milagre. E o Padre Santo, tendo presenciado aquele prodígio, tomou um pouco daquele pão, louvando a Deus, e despediu-se, deixando a sua bênção a Santa Clara. Por aquele tempo, habitava no mosteiro sóror Ortolana, mãe de Santa Clara e de sóror lnês, sua irmã, ambas, juntamente com Santa Clara, cheias de virtudes e do Espírito Santo, e ainda outras muitas religiosas, às quais S. Francisco mandava muitos enfermos, e elas com suas orações e com o sinal da Cruz a todos davam saúde. À honra de Cristo. Ámen.

Santa Clara com lírio
imagem: caminho franciscano

Segundo fonte de Editorial Franciscana

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password