Tatuagem, pode ou não pode?

Foto: Keenan Constance @keenangrams-unplash.

Não se esqueça: tudo o que fazemos com o nosso corpo comunica o que somos e transmite mensagens boas ou ruins.

Pode ou não pode?

Muitas pessoas, para se posicionarem contra a tatuagem, usam o versículo bíblico do livro de Levíticos que diz: “Quando chorarem a morte de alguém, não se cortem, nem façam marcas no corpo. Eu sou o Senhor(Lv 19,28).

Porém, padre Reginaldo Manzotti explica que não podemos aplicar à Bíblia o “elemento pinça” que consiste em retirar uma frase ou versículo bíblico de seu contexto. Esta passagem está logo após o êxodo; o povo que saía do Egito ainda mantinha diversas práticas religiosas daquele país politeísta. Por isso, Deus dá uma série de regras e preceitos para, de uma certa forma, acostumar o povo a ter um só Deus.

Ora, tudo o que remetia à escravidão deveria ser abolido, inclusive, essas práticas de marcar com incisões de forma supersticiosa. Estas, remetiam ao culto dos mortos e à adoração de deuses pagãos.

O padre ainda ressalta que a passagem não se refere à tatuagem em si, mas ao seu uso como forma de idolatria.

Símbolos e significados

Na antiguidade, várias culturas assumiram a prática da tatuagem como forma de mostrar a submissão de um escravo ao seu dono, de um fiel ao seu ídolo.

Em contrapartida, os cristãos coptas (Egito) têm marcado em um dos pulsos, a tatuagem de uma cruz que simboliza que Jesus é o começo e fim de tudo.

Portanto, a tatuagem em si não é um pecado. Todavia, ela pode tornar-se uma via pecaminosa e imoral dependendo da intenção de quem a faz. Hoje há muitas tatuagens com temáticas pagãs e satanistas, o que leva a pessoa a ser, de certa forma, um local de culto a esta entidade.

Não se esqueça: tudo o que fazemos com o nosso corpo comunica o que somos e transmite mensagens boas ou ruins.

Pode interessar: O que é a Teologia do Corpo de São João Paulo II 

O valor do corpo

Mas fazer uma tatuagem é bom ou ruim? Usemos de uma alegoria: suponhamos que você tem um automóvel da marca Ferrari, modelo 458 Spider que custa hoje três milhões e novecentos mil reais.

Você ama seu carro. É a menina dos seus olhos! Daí, um belo dia, querendo deixar o carro mais bonito, você vai e cola um adesivo religioso: “Conduzido por mim, guiado por Deus”, depois o adesivo do seu time do coração, e outro do seu bichinho de estimação, etc.

Acha que quem possui um carro desses faria algo do tipo? Pode até ser, mas se se arrepender vai gastar pelo menos dois mil reais só para tirar um adesivo!

Pois é. Nosso corpo é templo do Espírito Santo, é belíssimo de fábrica e muito mais valioso que uma Ferrari. Se alguém estiver decidido a fazer uma tatuagem, deve estar muito seguro sobre a sua finalidade e ciente sobre o caráter definitivo desta ação.

A quem você pertence

Claro, ninguém que possua uma tatuagem deverá deixar de seguir a Deus e nem se deve afastar-se dEle, como salientou em certa ocasião, numa entrevista, o Papa Francisco, de que não devemos ter medo de um jovem tatuado. E acrescentou:

“A tatuagem indica pertença. Você, jovem, que está tatuado ou tatuada assim, o que está buscando? Através desta tatuagem, a qual pertença você se refere?”.

Ressaltamos também, que quando a pessoa que quer fazer uma tatuagem é menor de idade, ela ainda está sob a tutela dos pais e a vontade destes prevalece. Se o pai ou mãe não autorizarem, entra em jogo a autoridade deles.

E você, adulto cristão, quer fazer? Então pergunte-se antes de fazer a tatuagem: Por que vou fazer? Onde vou fazer? O que vou tatuar? A quem é a minha pertença? Meus irmãos na fé irão se escandalizar?

Reflita com serenidade e decida!

Com informações de
Padre Paulo Ricardo

Padre Reginaldo Manzotti

ACIDigital

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password