Santa Isabel de Portugal, rainha das virtudes

Santa Isabel é muito querida em Portugal, por seu exemplo de virtude e caridade, forjadas no silêncio de um lar e de um reino. Ela foi mulher de fibra que entendeu que sua missão ia além do castelo.

Uma criança graciosa

Isabel é fruto do casamento do príncipe Pedro de Aragão com a Princesa Constança da Sicília, união que, de princípio desagradava o Rei Jaime de Aragão. Porém, ao tomar a criança nos braços logo se afeiçoou da neta.

Todos os empregados, diz a história, ficavam encantados com as feições e a docilidade de Isabel, que já desde pequena demonstrava a graça que a assistia.

Dizem que quando a bebê chorava, bastava mostrar-lhe o crucifixo ou uma imagem da Virgem Maria que ela logo se acalmava; aos oito anos já rezava o ofício com grande devoção.

Nasce uma Rainha

Em sua juventude pensou em consagrar sua virgindade, mas, por uma intuição divina e com a ajuda do confessor compreendeu que como princesa poderia resplandecer as virtudes evangélicas.

Casou-se, aos 12 anos com Dom Dinis, Rei de Portugal e logo sua fama de mulher caridosa se espalhou entre as damas da corte que imitavam suas práticas.

Apesar de Dom Dinis ser um homem conhecido por ser justo, infelizmente era infiel. A fama de seus casos e filhos bastardos, corriam nos bastidores, o que causava grande sofrimento em Isabel.

Esta provação mostrou uma mulher de grande vida interior; orava insistentemente pela conversão do marido vendo o adultério como uma ofensa a Deus, mais do que a ela.

Tanta piedade, fez com que o marido reconhecesse seus erros e abandonasse seus casos extraconjugais.

imagem de santa Isabel RainhaMilagres em vida

  • Isabel costumava praticar a caridade em vários abrigos de doentes. Certa vez ela limpava os pés cheios de úlceras de uma mulher pobre.

Enquanto limpava começou a sentir asco, por conta do cheiro que a ferida exalava. Para se redimir deste sentimento, ela inclinou e beijou a ferida, na mesma hora a úlcera desapareceu impressionando a todos que estavam presente.

  • Numa outra ocasião, estava saindo do castelo com moedas em seu avental, para serem distribuídas para aos pobres, quando encontrou-se com o rei.

Ele perguntou o que estava levando, ao que ela respondeu que eram rosas. Ele quis ver, devido ao fato de ser inverno e não ter nenhuma rosa. Quando Isabel abriu seu manto ele estava cheio de lindas rosas.

  • Certa vez ela acordou de um sonho onde entendia que Espírito Santo lhe pediu que erguesse um catedral em sua hora. No dia seguinte chamou os arquitetos e os enviou a tal lugar onde ela intuía ser o melhor.

Quando lá chegaram, ficaram estupefatos pois, o terreno estava todo pronto com os alicerces fundados, era preciso somente erguer a igreja. A rainha ao chegar no lugar para testemunhar o ocorrido entrou em êxtase.

Até o fim da vida dedicou ao Senhor

Após a morte do rei, Isabel, depôs suas veste reais, cortou os cabelos e vestiu-se com o simples hábito franciscano da Ordem Terceira. Dedicou-se por muito tempo a práticas penitencias em sufrágio pela alma do rei.

Depois deste período dedicou-se inteiramente ao serviço dos pobres e enfermos praticando de maneira exemplar as obras de misericórdia corporais e espirituais.

Faleceu no dia 4 de julho de 1336, aos 65 anos.

Que Santa Isabel de Portugal nos ajude a sermos melhores a cada dia, sempre olhando para o Senhor, crescendo na prática das virtudes. Santa Isabel, rogai por nós!

Segundo Fonte de Catolicismo.com.br

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password