fbpx

Rota da Luz – testemunhos de uma travessia

Foto: Juliana Costa.

“Que essa romaria não se acabe aqui, vamos todos prosseguir em romaria rumo ao céu, porque nessa terra somos peregrinos do Amor! GRATIDÃO!”

A forçar do peregrinar

Na bíblia há muitos relatos sobre peregrinações. Trata-se de uma prática espiritual muito antiga na Igreja, um caminho de travessia feito pela fé, que tem por destino algum lugar santo e de devoção. Sobretudo, um caminho de transformação e de descobertas, além das várias experiências pessoais que cada peregrino faz, ao se ver diante de suas limitações.

E foi em devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida que no último final de semana de novembro, o grupo da comunidade de aliança, em São José dos Campos/SP, organizou a romaria com destino a Aparecida/SP, caminhando cerca de 80 quilômetros, seguindo a “Rota da Luz”.

Leia aqui: Romaria Filhos da Imaculada: 20 anos de Aliança de Misericórdia

Partindo também de um desejo exposto de um dos fundadores da Aliança, Pe. João Henrique, a romaria recebeu o nome “Filhos da Imaculada – Aliança de Misericórdia 20 anos”. Segundo ele, a peregrinação é uma “experiência maravilhosa e de transformação. Quando nos colocamos a caminho entramos num mistério de descoberta da riqueza e das maravilhas de Deus”.

Celebrar um marco

Em comunhão a esse desejo, Vivian e Ângelo, casal missionário em São José, que já haviam feito essa travessia, após ouvirem tantos testemunhos edificantes, com ajuda do grupo local organizaram essa romaria como um retiro espiritual e em celebração aos 20 anos do Movimento.

Vivian relatou que durante o trajeto percebia junto a ela a presença de Jesus, o próprio Caminho, que, em meio às dores e dificuldades no andar, lhe apontava curas muito mais profundas que desejava realizar em sua vida. Ela testemunhou:

Percebi claramente que Jesus se colocava comigo no caminhar e me fazia memórias de fatos e relatos da minha vida que precisava resolver. Ressignificando muitas coisas na minha vida como missionária, mãe e esposa. Percebi que na meta final, ao chegar na ‘Casa da Mãe’, eu era curada. Ali, também exercitei resiliência comigo e a tolerância com o outro”.

E nessa travessia, muitos dos peregrinos relataram suas experiências.

Experimentando o amor da Mãe

Marisa, que por 30 anos foi protestante, e há dois anos participa da Aliança, fez parte da equipe de apoio e relatou:

“Essa caminhada teve um significado muito especial para todos, mesmo para aqueles que estiveram no apoio, pois a expectativa do encontro de Amor na casa da Mãe foi muito forte. Tivemos momentos únicos que jamais serão esquecidos, e precisamos divulgar essa experiência de cuidados da Mãe com seus filhos. Cada um teve um momento de conhecer e refletir de fato sobre ‘Que Amor é esse?’.

Toda caminhada, todo trajeto teve um significado de cuidar um do outro. Teve aqueles cujo corpo não aguentou a caminhada, mas não desistiram. Teve os que retornaram para suas casas, mas voltaram para o grande encontro na casa da Mãe. Ela cuidou de cada um com tamanho Amor que já criou em nós nova expectativa para uma nova caminhada de Amor”. (Marisa de Paula, equipe de apoio – anjo!)

Não pelas nossas forças

 Daniele Alves, que saiu de Guarulhos para fazer essa travessia, mesmo com os pés inchados e muito doloridos, completou o caminho, reconhecendo a partir dessa limitação o amparo de Deus, que sempre vem em socorro à sua fraqueza:

Vários momentos foram muito especiais pra mim. Em um deles, mais específico, depois da última parada no sábado eu voltei a caminhar e tinha me arrependido de não ter pedido pra ir no apoio. Estava com muitas dores, já mancando era muito difícil pra caminhar.

Em certa altura desse trajeto, eu e Juliana começamos a cantar louvores. Foi muito significativo, pois sentia forças pra continuar. Sei que não era na minha força, porque realmente eu não tinha, mas com os louvores eu conseguia caminhar e até apertar o passo. Vivemos um momento muito profundo de oração.

Foi uma linda trajetória porque eu sei que nas minhas forças teria parado no primeiro dia, mas pela graça de Deus, e sei que é só pela graça d´Ele, que consegui chegar até o final. Obrigada a todos pela acolhida, pelas partilhas, amizades, pela fraternidade. Foi maravilhoso! Deus é bom o tempo todo!” (Daniele Aparecida, romeira)

Os pés do peregrino: cansados e com bolhas. (Foto: Juliana Costa)

Amar mais

Maria Ecila, além de todo apoio aos romeiros, com sua alegria incentivou cada um a continuar “só mais um pouquinho…”, até chegar à meta.

“Queria agradecer pela vida de cada um de vocês. Como foi bom poder estar ali na equipe de apoio e ver o rostinho de cada um que chegava no ponto de encontro e que saía para continuar a caminhada. A cada passo que davam, tenham a certeza que nos alegramos juntos com vocês. Eu senti uma comunhão entre todos e uma paz enorme durante a romaria toda. O grupo estava realmente sendo carregado nos braços de nossa Mãezinha.

Partilho aqui uma das várias experiências que tive nessa romaria. Na missa de envio, na sexta-feira, eu orava e pedi a Jesus para amá-Lo mais, e Ele me disse ‘quer me amar? Então, ame os meus e assim estará me amando’. Na mesma hora olhei todos que iam sair em caminhada e me deu uma alegria no coração de estar ali no apoio e poder amar e cuidar de Jesus que se faz presente em cada um.

Me senti carregada por Ele e por Maria, pois eu vi que eles me davam uma força e energia para não parar”.

(Maria Ecila, equipe de apoio – anjo!)

“Todos chegamos. Cada um do seu jeito, mas todos chegamos!”

Apesar de não ter completado minha romaria, quero deixar aqui minha gratidão por toda a equipe de apoio: vocês são incríveis, verdadeiros anjos que cuidam da alimentação, das dores, das bolhas, mas principalmente da nossa alma, com cada oração dedicada a essa romaria e a cada pessoa.

Deus seja louvado por cada romeiro que a cada passo foi deixando sua vida nas mãos da Mãezinha para que ela mesma se encarregasse de levar até o lado aberto de Jesus, ou seja, Seu Coração Misericordioso!

Que essa romaria não se acabe aqui, vamos todos prosseguir em romaria rumo ao céu, porque nessa terra somos peregrinos do amor! GRATIDÃO!

O que fica no meu coração é uma palavra que uma amiga me disse ao final da missa: ‘Diana, todos chegamos. Cada um do seu jeito, mas todos chegamos!’. Obrigada! Amor que não cabe no peito a esse carisma que vem de Deus!”,

testemunhou a peregrina Diana Cardoso, após a missa com Dom Altiere e Pe. Licon, na Basílica de Aparecida.

A próxima romaria está prevista para maio de 2021. Viva também essa experiência de travessia em sua vida.

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password