Páscoa: A ressurreição da Esperança

A celebração do Mistério da nossa salvação, a Páscoa, Ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos é um evento singular, mas ao mesmo tempo comporta um significado que esgota a nossa capacidade de compreensão por se tratar de algo jamais presenciado.

No entanto, é determinante para toda a humanidade, pois integra o homem como nova criatura, assumida, resgatada e salva por Deus.

A Páscoa, a passagem, o nosso êxodo, permite uma esperança nova. “Porém, agora em que consiste essa esperança que, enquanto esperança, é redenção”. Esta esperança está descrita como encontro na Carta de São Paulo aos Efésios:

lembrai-vos de que, então, estáveis sem Cristo, não participáveis da cidadania de Israel nem das alianças da Promessa, não tínheis neste mundo, esperança nem Deus Verdadeiro”. (Ef 2, 12)

Que esperança é esta?

Ícone das mulheres e o anjo no sepulcro vazio
Ícone das mulheres e o anjo no sepulcro vazio.

É uma esperança que preenche o homem e lhe dá sentido de vida. Pois, a Ressurreição de Jesus nos aponta para algo novo que nos espera, mas que ao mesmo tempo nos sacia.

É fonte vida.  Por quê? Porque como nos afirma Bento XVI “isso significa que não estamos abandonados a nós mesmos. Somente se Jesus Ressuscitou aconteceu algo de verdadeiramente novo, que muda o mundo e a situação do homem”.

A Ressurreição é a experiência de algo que toca e transforma a nossa existência, dando significado à nossa vida e particularmente ao sofrimento. E com isso podemos esperar contra qualquer desesperança.

A experiência de que “o fato da Ressurreição de Cristo, prova cabal e definitiva de sua divindade, reacende a alegria” e a esperança no homem é à expressão da alegria que as mulheres do Evangelho experimentaram quando se depararam com o ressuscitado.

Dentre as narrativas dos Evangelhos sinóticos temos em São Mateus o fato de a Ressurreição envolver uma profunda alegria para Maria Madalena e outra Maria:

Ide depressa contar aos discípulos: Ele ressuscitou dos mortos e vai à vossa frente para a Galiléia. Lá o vereis. É o que tenho a vos dizer. E saindo ás pressas do túmulo, com sentimentos de temor e grande alegria, correram para dar a noticias aos discípulos”. (Mt 28, 7-8)

Muitos de nós vivemos como que lançados numa falta de esperança. Diante de toda espécie de sofrimentos. Este mar de destruição nos submerge em uma vida de tristeza e consequentemente de total desesperança. E por mais que a pessoa queira, não tem forças de levantar o seu olhar para um futuro que já nos toca: a vida plena.

Deixar-se tocar pela Misericórdia de Deus

A Misericórdia possibilita a alegria e esperança, e são frutos da Redenção operada por Cristo. O homem que se encontrara cativo e sem poder libertar-se de um destino infeliz e destruidor encontra em Jesus Cristo Morto e Ressuscitado a Alegria e a Esperança de uma nova vida.

E esse encontro acontece quando me deixo tocar pela Misericórdia de Deus. Ela tem o poder de renovar e encher-me de esperança. E a esperança Cristã e a experiência do amor de Deus que desloca a pessoa para um caminho de esperança e Fé. Acredite a Esperança é objeto da nossa salvação em Cristo Jesus. Nele podemos esperar.

Pe. Estêvão Maria Kolbe
Padre na Aliança de Misericórdia

Bibliografia:

RATZINGER, Jesus de Nazaré. Da entrada de Jerusalém até a Ressurreição. Tradução Bruno Bastos Lins. São Paulo. Editora: Planeta do Brasil, 2011.

SANTINI, Antônio Carlos. Sal da terra, luz do mundo. Reflexões sobre o Evangelho de São Mateus. Belo Horizonte. Editora: o Lutador, 2010.

DOC. 192, Carta Encíclica SPE SALVI, do Sumo Pontífice, Bento XVI, sobre a Esperança cristã. Editora Paulinas, 2008.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password