fbpx

O que a série “Friends” tem para nos lembrar?

Antes de tudo: separar o que é bom

Sim, sabemos que na série “Friends”, existem muitos tópicos inconsistentes com a visão de mundo católica. No entanto, existem assuntos, valores e situações à partir dos quais podemos tirar uma valiosa lição. O quê? Olhe!

“Friends” – quem não conhece esta série? Há poucas pessoas que não ouviram nada sobre ela. Embora tenham se passado 24 anos desde a estreia das primeiras dez temporadas, as aventuras dos amigos – Monika, Phoebe, Rachel, Joey, Chandler e Ross – ainda encontram novos fãs.

Estou ciente de que há vários tópicos na série que são contraditórios com a visão de mundo católica. Homossexualidade, relações fugazes e baseadas no sexo, muitos diálogos ambíguos – e estes são apenas alguns deles; não pretendo fingir que não existem, mas não são o tema principal deste texto.

A série “Friends” tornou-se um fenômeno tão popular, quase um fenômeno cultural, que, na minha opinião, merece reflexão sobre seus valores positivos e convergentes com o cristianismo.

Então, o que um cristão pode aprender com “Friends”?

Antes de tudo, a amizade

Pode parecer redundante, mas a primeira coisa a aprender com “Friends” é a amizade. Os protagonistas da série são colocados em várias situações da vida, não só agradáveis.

Problemas como a busca de emprego, a concepção de uma criança, diversas aventuras profissionais e emocionais, a morte de seus entes queridos, enfim. Notamos que, todos eles passam por tudo isso.

O problema de uma pessoa torna-se a preocupação de todos. Graças ao apoio e bons conselhos de amigos, cada um passa por esses momentos difíceis. É impossível não citar aqui um fragmento do livro do Eclesiástico: “Amigo fiel, uma defesa poderosa, que o encontrou, encontrou o tesouro”. (Eclo 6, 14-17)

Esforçando-se para começar uma família

No início os personagens da série têm muitos relacionamentos baseados apenas em sexo. Estamos totalmente em desacordo com essa abordagem como católicos.

No entanto, o que vale a pena prestar atenção é o fato de que, em tudo isso, os seis realmente estão procurando um único amor.

Em algum lugar mais ou menos consciente, cada um deles se esforça para viver com uma pessoa até o final de seus dias. No final do da série, um faz isso, outros não, mas esse desejo está neles todos.

Mesmo Joey os tem. Isso deve provocar a reflexão sobre nossos relacionamentos. Provavelmente conhecemos pessoas que têm desejo de pureza. No fundo do coração, todos estão à procura de estabilidade e sensação de segurança.

Perdão, não 7, mas 77 vezes

Na vida, nem sempre as coisas saem como pensamos. Às vezes acontece que as pessoas mais próximas de nós agem estupidamente, apesar do nosso conselho. Ficamos então bravos, chateados, ofendidos.

Há também situações como “Friends”. Embora a série tenha mantido o tom de comédia, os criadores incorporaram habilmente muitas lições importantes nela. Uma delas é a capacidade de perdoar. Os amigos se perdoam em nome de seus relacionamentos. Devemos fazer o mesmo. Nós devemos finalmente perdoar 77 vezes, o que quer dizer sempre.

Felicidade na ponta dos seus dedos

Eles correm atrás de várias coisas – carreira, dinheiro, experiências, sonhos, coisas. Na verdade, estamos à procura de apenas uma – felicidade. Muitas vezes nós os temos logo abaixo do nosso nariz.

Na série perseguem a carreira, com insistência, porém, eles também estão procurando por amor e satisfação e não conseguem ver que eles podem estar do lado. Até que algo lhes abre os olhos.

Será que a coisa que mais procuramos não está tão perto que mal reconhecemos?

Segundo fonte de Aleteia Polônia, Escrito por Eryk Markowski

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password