fbpx

No ombro, a ovelha ferida | Pastores da Misericórdia

Imagem: canva-pro.

Podemos fazer uma pergunta ao texto bíblico para entendê-lo melhor: por que o Bom pastor carrega as ovelhas nos ombros e não no colo?

Analogias perfeitas

Todos nós bem conhecemos este trecho do evangelho “O Bom Pastor” (Jo 10,1). Jesus é ali apresentado como Aquele que dá a vida por suas ovelhas; estas reconhecem sua voz. O personagem da parábola que vai atrás da ovelha perdida, a coloca nos ombros e a conduz novamente para o redil, é o nosso Salvador.

Podemos fazer uma pergunta ao texto bíblico para entendê-lo melhor: por que o Bom pastor carrega as ovelhas nos ombros e não no colo?

A ovelha perdida ainda que longe, reconhece a voz do pastor, mas talvez ferida e limitada não é capaz de retornar a ele. É por isso que o pastor vai ao seu encontro. A ação de colocá-la nos ombros retrata a intimidade com a qual o pastor trata as suas ovelhas. E não só pela intimidade, ele a coloca nos ombros para que sua fala fique mais próxima dos ouvidos daquela pequenina. Intimidade. O pastor fala de “coração para coração”.

Saiba mais: A compaixão nos salva da indiferença – Papa Francisco

Minhas ovelhas me conhecem

Esta missão Jesus extende a algumas pessoas de maneira especial. Todo aquele que é chamado a ser pastor precisa inspirar confiança (Jo 10,11), precisa conhecer a sua ovelha pequenina, tocar com caridade em suas feridas e tratá-la até que fique curada.

No ombro, a ovelha sente-se segura novamente, compreendida e não julgada, pois o pastor não pergunta por onde ela andou ou o que ela fez, ele a encontra e traz de volta ao rebanho.

É uma missão fantástica e bela!

Ir atrás das ovelhas de Cristo

Nos tempos atuais quantas pessoas feridas, machucadas, desenganadas podemos encontrar? Quantas pessoas perdidas, distantes, como aquela pequena ovelha que se perdeu, hoje precisam ser carregadas nos ombros? São pessoas que precisam falar com o pastor de coração pra coração, são pessoas que precisam voltar a essência, retornar ao redil, porque há lobos que chegaram para dispersá-las.

Mas a ovelha reconhece a voz do pastor! Uma vez tratada por Ele jamais esquecerá a sua voz. Carregada no ombro, ouvindo as palavras, os direcionamentos, esse pequenino voltará e saberá que nos ombros de Jesus, o Bom Pastor, ela pode dividir seus fardos, pesos e medos.

“Vinde a mim todos vós que estais cansados sob o peso do vosso fardo e vos darei descanso.” Mt 12, 28-30.

Pode interessar: A importância da Direção Espiritual no caminho vocacional 

Uma grande responsabilidade

O pastor deve estar sempre atento e vigilante, manter uma vida de fé e tratar das feridas com a Palavra. Tarefa difícil e de grande responsabilidade.

Uma missionária certa vez, relatou uma experiência que viveu: “Um dia eu estava andando por uma rua e vi uma mãe e duas crianças, as crianças tinham aparentemente tinham 6 e 2 anos.

A mãe carregava algumas sacolas, e menino maior carregava nos braços seu irmãozinho menor. Então, eu perguntei ao menino: “Está pesado para você carregar ele?” O menino respondeu: “Não, ele é meu irmão!”

O único peso que o pastor pode sentir, é o peso de abandonar suas ovelhas, o seu redil ou de não ir atrás da sua pequena ovelha perdida.

Quando se carrega quem se ama, quem temos o desejo de cuidar, não sentimos esse fardo! “Não é pesado carregar, é meu irmão, é a minha ovelha, pertence ao meu redil. Dou minha vida por elas.”

É assim que cada pessoa cristão, chamado a cuidar de tantas almas, é convidado a unir-se a Jesus Bom Pastor e, com Ele, carregar cada uma das ovelhas que lhe foi confiada.

Em especial, em nosso Carisma, alguns irmãos sentem essa missão de pastoreio como um chamado específico, percebendo-se então como a cor verde do Arco Íris de Misericórdia, carregando em seus corações esse desejo de zelar com carinho do rebanho do Senhor!

Elaine Cecília, missionária Celibatária da Aliança de Misericórdia

0 Comments

    Leave a Comment

    20 − 7 =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password