fbpx

Liberdade ou Libertinagem? A liberdade da mulher Católica

No atual mundo relativista em que vivemos, com a moral e a liberdade sendo “reduzidas à pó”, é necessário, como mulheres católicas, voltar nosso olhar ao Princípio, e trazer essa compreensão ao todo que somos: Espírito, Alma e Corpo – nesta ordem – pois foi assim que Deus criou.

Espírito, Alma e Corpo ordenados para a liberdade, que está relacionada diretamente ao conhecimento e entendimento de quem somos e para quê fomos criadas.

“A liberdade é, no homem, uma força de crescimento e de maturação na verdade e na bondade. E atinge a sua perfeição quando está ordenada para Deus, nossa bem-aventurança” (CIC 1731).

Liberdade limitada?

“Deu-lhe este preceito: “podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore da ciência do bem e do mal; porque no dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente”. Gn 2,17

No Éden, a serpente, astuta e com suas intenções bem decididas, questiona a mulher sobre a “liberdade limitada” dada por Deus, distorcendo a fala do Senhor, querendo respostas sobre a “proibição” imposta em não poder comer da árvore do conhecimento.

“A mulher respondeu-lhe: ‘‘podemos comer do fruto das árvores do jardim. Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus disse: ‘Vós não comereis dele, nem o tocareis, para que não morrais’.” ‘Oh, não!’ – tornou a serpente – ‘vós não morrereis! Mas Deus bem sabe que, no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão, e sereis como deuses, conhecedores do bem e do mal’”. (Gn3,2-5)

Liberdade ou libertinagem?

Atingindo seu objetivo, a serpente fez o pecado entrar no mundo, e como consequência, a desordem da criação acontece imediatamente! Ou seja, a criação que era regida pelo pleno discernimento do Espírito – “Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Se, porém, vos deixais guiar pelo Espírito” (Gl 5,13.18) – passa ali no Jardim a ser regida pelo corpo (carne). “Os desejos da carne se opõem aos do Espírito, e estes aos da carne; pois são contrários uns aos outros. É por isso que não fazeis o que quereríeis.” (Gl 5,17)

Ali, no Jardim, a liberdade é confundida com a libertinagem: “as obras da carne são estas: fornicação, impureza, liber­tinagem” (Gl 5,19).

Desde então, a mentira sobre o que de fato é ser livre permeia o nosso ser feminino que, no atual cenário aliado os conceitos humanos de liberdade, movimentos políticos, religiosidade vazia, estereótipos, culpas, peso e cobranças nos aprisionam e, também nos fazem deixar de reconhecer nossa principal característica: SOMOS FILHAS, CRIADAS PARA CONHECER, AMAR, SERVIR E ADORAR A DEUS, tornando nossa vida nesta terra um reflexo de Sua Glória: “o seu amor nos predestinou segundo o beneplácito de sua livre vontade, para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado” Ef 1,5-6.

Leia também: a liberdade interior da mulher

Voltar à essência

É necessário voltar à ordem da criação. Reconhecer Deus como Pai, e deixar o Espírito reger sua essência, mulher, pois “onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade” II Cor 3,17.

Reconhecendo e assumindo nossa identidade, viver a Palavra que diz que, “Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma.” (1 Cor 6,12). Ou seja, tenho a capacidade de fazer muitas coisas, mas que nem tudo o que podemos fazer é bom, porque as nossas ações têm consequências.

O mais alto grau de liberdade que podemos alcançar coincide com a conquista da nossa interioridade. Quando alcanço o centro do meu ser, encontro com o centro da liberdade.

É no centro da alma, ou seja, quando sou quem eu devo ser, é que se dá a plena a união com Deus. Só há união total de amores, quando há liberdade. O amor não é possível sem liberdade. E a liberdade e o amor não são possíveis sem o conhecimento. Do mesmo modo que não posso amar a quem não conheço, não posso amar-me, não posso me dispor para a união mística se antes não me conheço.

“Conhece-te, aceita-te, supera-te.” Sto Agostinho

Essa liberdade pelo conhecimento, só se dará na Verdade, que é o Cristo. “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” Jo 8,32.


Leia também: O que torna a mulher tão importante para o mundo?

Deus nos abençoe e a Virgem de Fátima nos conduza no Caminho que nos leva à Liberdade Eterna!

Agnes Cristina

Missionária Comunidade de Vida

Retiro de Espiritualidade para mulheres

Mulher, tu estás livre”, esse é o tema do Retiro para Mulheres, que acontecerá no dia 15 de maio, no Centro de Evangelização da Aliança de Misericórdia.

Presença confirmada dos missionários da Aliança, Cléo Flores, padre Rodrigo Elias, padre Danilo Rasera e Eveline. Além da missionária da Comunidade Canção Nova, Alexandra Gonçalves e das cantoras Cibely Borin e Lucimare Nascimento.

Participe conosco desse momento especial e impactante!
Mulher, tu estás livre!

Adquira seu ingresso clicando aqui

Imagem de destaque: Aditya Saxena, no Unsplash

0 Comments

    Leave a Comment

    19 − 8 =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password