fbpx

José: herdeiro da promessa – Aceitar a própria história

Em comunhão com o Papa Francisco, desejamos neste ano aprofundar, com todo o Movimento,  a figura de São José. Um homem silencioso, escondido, com determinadas características que, se não por casualidade, jamais nos sentiríamos impelidos a repará-las uma segunda vez.

Passa pelo Evangelho sem pronunciar uma palavra. Entretanto, foi o escolhido por Deus para ser “Guarda” de dois tesouros para nós cristãos: Jesus e Maria. Homem em quem Deus depositou Sua confiança e que, assumindo sua missão, cooperou na Encarnação Divina e na salvação do gênero humano.

Os relatos sobre a genealogia de José são marcados pelas virtudes ou pelos feitos de diversos homens apresentados na história bíblica, e que nos ajuda a conhecer mais a pessoa deste admirável Patrono da Igreja e pai de Jesus Cristo.

José pertencia à casa e à linhagem de Davi (Lc 2,4). Fato importante na história da filiação e realização profética de Jesus. Podemos observar, por exemplo, tal relevância nas diferentes apresentações nos textos do Evangelho de Mateus e Lucas. No qual, em Mateus, o evangelista apresenta a genealogia tradicional da época (paterna), e em Lucas a consanguínea (materna). Ambas, confirmando a descendência davídica de Jesus.

Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus chamado Cristo(Mt 1, 16).

Ao reler sobre as origens de José, recordamos de cada rei, profeta, patriarca e pontífice que dá o privilégio a José de fazer parte de uma descendência abençoada, obediente e fiel a Deus.

Embora não tenha prolongados trechos na bíblia sobre José, o simples fato de indicar uma linha cronológica de suas gerações, por exemplo, nos ajuda a identificar pontos importantes sobre sua pessoa. “Portanto, o total das gerações de Abraão até Davi, são quartorze gerações; De Davi até o exílio da Babilônia, quatorze gerações; e do exílio da Babilônia até Cristo, quatorze gerações” (Mt 1, 17).

Questionamentos como: quem foi Abraão, Davi? O que foi o exílio da Babilônia e o que aconteceu até o tempo de Cristo? São perguntas que nos suscitam curiosidades para um  conhecimento a mais. Entretanto, porque as sagradas escrituras nos oferecem tantos dados genealógicos?

Porque Cristo, a segunda pessoa da Santíssima Trindade, se encarnou não só em um corpo, mas na história do Ser Humano. Ele, completamente Deus, foi completamente homem, se submetendo a um pai terreno e toda sua linhagem para se aproximar, estar e ser como cada homem.

“Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus chamado Cristo” (Mt 1, 16).

A  genealogia de José, demonstrou verdadeiramente que Jesus é o “Filho do homem” e sua vinda expia os pecados dos homens, a começar os da sua raça, do seu povo, seus descendentes. Pertenceu verdadeiramente à raça humana, assumiu sua herança. Além de tudo, Cristo veio para salvar: homens e mulheres, gentios e judeus, justos e pecadores, todos. Não por acaso e sim para confirmação do ato anterior, encontramos, nesta genealogia, a descrição de três mulheres pecadoras e marginalizadas pela sociedade da época. Estes relatos nos possibilitam contemplar uma nova realidade: a Pureza e a Santidade daquela que entra na narrativa desta linhagem dizendo “Sim” à Vontade do Pai: Maria.

 “Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus chamado Cristo” (Mt 1, 16).

José estava desde sempre no coração e na Providência Divina. Foi desta descendência que deveria nascer o Messias que salvaria o mundo. E assim foi cumprida a profecia.

Deus Pai realiza todos os seus desígnios passando pela pessoa humana. E esta pessoa vive na palma da mão d’Ele. Isto é uma escolha que Ele fez e sempre fará, por que nos ama.

Ampliando nossos horizontes e trazendo para nossa realidade, não podemos nos adaptar à imagem de filhos/frutos de um acaso, ou mesmo sermos conhecidos apenas como objetos que se exclui por que não tem valor.

Somos seres pensados e formados por Deus! Com uma história, com uma descendência, cumulados de virtudes e fragilidades decorridos de uma linhagem que Ele bem conhece.  Somos sonhados e desenhados pelas mãos de Deus. Ele nos contempla, admirado na Eternidade por aquilo que criou: cada um de nós! “Conheces até o fundo do meu ser: meus ossos não te foram escondidos quando eu era modelado em segredo, tecido na terra mais profunda” (Sl 139, 13).

“Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus chamado Cristo” (Mt 1, 16).

Refletindo sobre a genealogia de José, que deu sentido à história da vida de Jesus, recordamos também  a de nosso pai, mãe, avós. Foi através deles que recebemos aquele toque Divino que nos permite louvar, rezar, realizar sonhos divinos. Acredite: sobre cada um de nós, o Pai do Céu tem sonhos infinitos, eternos e os antepassados que já foram da minha ou sua família, fizeram parte deste plano.

Ao pertencer a esta família, Deus estava pensando em mim, em você. Qual seria nossa história, nossa pertença nesta época?

Cada um tem a mesma vocação de José: devemos levar Jesus ao mundo, para todos, porque todos que se aproximarem de nossa vida encontrarão o Salvador.

Tenho certeza que, de minha mãe Maria e meu pai Emílio, nasci para anunciar ao mundo que Jesus está vivo, e para proclamar que vale apena viver! Meu pai e minha mãe me ensinaram isso, assim como os cuidados de José que também ensinaram para seu filho: Jesus.

E como fez José, Jesus espera que eu O aceite na história da minha vida.

Então, que escolha você deseja fazer: acreditar no mundo que propaga a “liquidez” da vida ou acreditar que você é fruto de descendentes que lhe geraram para HOJE realizar os desígnios do Pai do céu, desde da eternidade?

Você não é um objeto perdido no universo, você é FILHO DE DEUS PAI.

Pe. Antonello
Fundador da Aliança de Misericórdia

0 Comments

    Leave a Comment

    3 × quatro =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password