fbpx

Entrega da medalha São Paulo Apóstolo

Luciney Martins/O SÃO PAULO

A cerimônia ocorreu no palco da sala do Teatro da Universidade Católica de São Paulo (TUCA).

Reconhecendo as ações

A noite de premiação começou com as palavra do cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, onde ele saudou a todos e parabenizou Dom Devair, presente no recinto, que foi escolhido pelo papa como bispo de Piracicaba. 

Depois, prosseguiu:

“A medalha São Paulo Apóstolo deste ano tem um olhar particular para a situação que nós vivemos neste ano de pandemia, de sofrimento e luto para muita gente…mas também de tanta coisa boa.

Tanta gente que fez o bem, tanta manifestação de solidariedade, de caridade, tantos modos de conclamar, não só a Igreja, mas a comunidade humana toda (…).

Dessa maneira os nossos premiados deste ano representam, de alguma forma, uma homenagem a muitos outros que poderiam ser igualmente premiados por terem feito tanta coisa boa”.

Logo depois, seguiu a cerimônia de premiação onde cada contemplado recebeu a medalha e um diploma correspondente ao seu destaque. Além disso, cada um colocou sua assinatura no livro de registro de contemplados.

Destaque no serviço social

A Aliança foi contemplada na categoria Serviço Social. Para receber a premiação, estiveram presentes: Pe. Custódio, Pe. Evandro e irmã Mary, que compõe a atual presidência do Movimento.

Padre Custódio subiu ao palco para receber o prêmio e dirigiu ao público algumas palavras:

Boa noite a todos! A Aliança de Misericórdia nasceu há 20 anos aqui na cidade de São Paulo, fundada por dois padres italianos (padre Antonello Cadeddu e padre João Henrique), com esse desejo de ser um sinal da misericórdia de Deus para os mais pobres

No início, a gente não sabia muito como fazer. A gente começou inicialmente visitando as ruas do centro de São Paulo, na praça da Sé, Cracolândia. 

Foram os próprios pobres que nos ensinaram a evangelizar; as crianças de rua, os moradores dos cortiços e favelas. Foi necessário, para conviver com esses mais pobres, que nós pudéssemos dormir nas ruas para criar uma certa amizade e acima de tudo, fazer aquilo que era a nossa grande missão: despertar neles, através da evangelização e da ação social, o desejo de que eles saiam das ruas para um caminho de recuperação e, se Deus o permitir, a reinserção na sociedade.

A missão é uma só

Aquele pequeno trabalho que começou nas ruas do centro de São paulo, foi crescendo através de projetos e casas, e hoje, a Aliança está presente em 40 cidades do Brasil e mais oito países, sempre com esse desejo: ser um sinal de misericórdia para os mais pobres.

Foi muito difícil trabalhar em meio à pandemia. Graças a Deus, não faltou trabalho, mas também não faltou a solidariedade. Muitas pessoas contribuíram com alimentos, com roupas, com doações em dinheiro para que o trabalho não parasse.

Graças a uma rede de entidades que trabalham com a Aliança (queria agradecer a todas) foi possível, ao longo desses meses de pandemia, retirar das ruas mais de mil pessoas, que foram acolhidas em casas da Aliança e em outras entidades.

Queria muito agradecer à Arquidiocese de São Paulo na pessoa do Dom Odilo, que é nosso pastor e que acompanha de perto a Aliança. Também agradecer a comissão julgadora e oferecer essa medalha, esse reconhecimento, que para nós é um presente de aniversário, (A Aliança está completando 20 anos) aos nossos missionários e aos nossos colaboradores que continuamente dedicam a vida para ajudar essas pessoas. Muito obrigado e Deus abençoe a todos”.

Categorias da premiação

Ao final da cerimônia, todos os contemplados subiram ao palco para uma fotografia com o cardeal e os bispos auxiliares presentes.

O Prêmio de reconhecimento foi instituído em 2015, dentro das comemorações dos 270 anos de criação da Diocese de São Paulo. A Medalha São Paulo Apóstolo tem os objetivos de valorizar, estimular e dinamizar a vida eclesial e pastoral na Arquidiocese de São Paulo. 

A seguir, a lista de contemplados em suas respectivas categorias:

PESSOAS

TESTEMUNHO LAICAL: Filipe Castelhano Pais

Estudante de Direito, catequista, coordenador do grupo de jovens da Paróquia Santa Rita de Cássia, no Pari, na Região Episcopal Belém, desenvolve projetos de ação caritativa por meio da arrecadação e entrega de alimentos para a população em situação de rua da cidade.

SERVIÇO SACERDOTAL: Cônego Raphael Emygdio Peretta

Nascido em Caçapava (SP), em 22 de março de 1937, é sacerdote há 50 anos. Desempenhou o ministério presbiteral em diversas paróquias da Arquidiocese, e atuou na formação de futuros padres e diáconos permanentes. Atualmente, colabora na Paróquia São Joaquim, no Cambuci, na Região Episcopal Sé.

AÇÃO CARITATIVA E DE PROMOÇÃO HUMANA: Padre Vítor Bertoli

Pároco da Paróquia Senhor Bom Jesus dos Passos, em Pinheiros, tem 92 anos e, desde 1960, é membro do Movimento por Um Mundo Melhor. Na paróquia, desenvolve um trabalho de atendimento às pessoas em situação de rua e famílias pobres.

AÇÃO MISSIONÁRIA: Padre Marcelo Maróstica Quadro

Pároco da Paróquia São José do Belém, na Região Episcopal Belém, é coordenador regional de pastoral e diretor da Caritas Arquidiocesana de São Paulo. Destacou-se pela ação pastoral e evangelizadora, especialmente, o serviço da caridade aos mais pobres da paróquia e aos refugiados atendidos pela Caritas.

INOVAÇÃO NA METODOLOGIA PASTORAL: Padre Michelino Roberto

Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Brasil, no Jardim América, na Região Episcopal Sé, onde desenvolve um trabalho marcado pelo dinamismo pastoral, valorização da liturgia e formação cristã. A Paróquia também mantém uma creche, além de subsidiar atividades assistenciais e necessidades materiais de outras paróquias da Arquidiocese.

EDUCAÇÃO CRISTÃ: Irmã Bernadete Nakagawa

Religiosa da Congregação das Irmãs Caritas de Jesus, mantenedora do Colégio Caritas, em São Mateus, na zona Leste de São Paulo, realiza um trabalho educacional, confessional e social com cerca de 500 alunos na periferia da cidade.

DEFESA E PROMOÇÃO DA VIDA E DIGNIDADE HUMANA: Nicola Isidoro Martorano Filho

Coordenador do grupo de pesquisadoras da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), patenteou um processo inovador de microestação de tratamento de esgoto, que pode ser transportada a locais de difícil acesso, especialmente áreas de periferia.

INSTITUIÇÕES:

CULTURA: Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários

Localizada no bairro da Mooca, na Região Episcopal Sé, destacou-se pela iniciativa Operação Saúde, que promoveu a conscientização das pessoas quanto à prevenção, cuidados e o combate à desinformação na pandemia.

COMUNICAÇÃO SOCIAL: Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac)

Entidade mantenedora da Rede Vida, primeira emissora de televisão de inspiração católica do Brasil, tem por vocação a promoção da família e a valorização humana e social, comprometida com a Evangelização.

SERVIÇO SOCIAL: Movimento Eclesial Aliança de Misericórdia

Criado no ano 2000, com o objetivo de atender as necessidades da população mais vulnerável, doentes e pobres da capital paulista, tem como prioridade a busca contínua do resgate integral do ser humano.

MENÇÃO HONROSA: Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras)

A organização administrada pela Ordem dos Frades Menores, há mais de 20 anos, tem seu trabalho voltado à população em situação de rua. Desde março, mantém uma Tenda no centro da capital paulista onde são distribuídas cerca de 2,4 mil refeições diárias à população em situação de rua e pessoas afetadas pelos impactos econômicos da pandemia.

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password