Maria Paola, empoderada pela misericórdia de Deus

Maria Paola, empoderada pela misericórdia

Hoje em dia, o termo “empoderada” está super em alta no meio feminista e quer expressar as características de uma mulher que toma seu lugar na sociedade. Que mostra sua força e superioridade, que tem voz e vez e por isso pode se impor e assim ser livre da “submissão” e “dominação” masculina.

Porém, também sabemos que e cremos que ideologias como essa corrompem a verdade e acabam se misturando com tantos outros ideais que ao invés de valoriza-las acabam que diluindo seu valor. As descaracteriza de seu papel no mundo, nas famílias, na Igreja ou qualquer outra parte que ela deva estar.

Ideais que deturpam a imagem verdadeira do ser mulher e querem transforma-la em outra coisa, a desviando da verdade que afirma que ela tem sua personalidade própria, sua autenticidade e contribuição única no mundo e que só pode fazer isso sendo originalmente mulher, feminina, com suas fragilidades e fraquezas.

Empoderadas por Deus

Muitas discussões sobre o assunto são propostas por aí a fora, mas nesta série, o desejo é mostrar através de experiências e histórias de mulheres marcantes, que o verdadeiro “empoderamento” que nós mulheres podemos viver vem de nossa intimidade e abertura ao Espirito Santo.

Afinal, que mulher enfrentou reis tiranos como Ester e Judite e os venceu? Ou foi capaz de enfrentar guerras e campos de batalha como Santa Joana D’Arc ou Santa Edith Stein?  E tantos outros exemplos bonitos que mostramos aqui.

Que poder, que força, que superioridade de seus próprios sentimentos, histórias difíceis e histórias conturbadas temos aqui! Tudo isso, fruto de conhecimento e confiança em Deus, de abandono no poder do Espirito Santo.

Maria Paola, empoderada pela misericórdia!

Hoje trazemos a história de uma mulher muito cara a todos nós da Aliança de Misericórdia e que por sua história e superação na fé, se tornou exemplo para tantos outros. É a nossa querida Maria Paola, empoderada pela misericórdia!

Nada de muito incomum, Maria nasceu em Sardenha, uma bela, porém, não muito importante ilha da Itália. Filha mais jovem de três irmãs, Maria cresceu em meio a uma vida simples na presença de sua família que cultivava a terra e cuidava de animais e desde de pequena já se mostrava uma filha carinhosa que guardava um amor especial pelos pobres.

Quando jovem, cursou biologia e amava atividades de mergulho, artes e também dividia seu tempo servindo em sua paróquia como catequista. Em um dia marcante de sua vida, leu um trecho da palavra de Deus que mudou o curso de sua história: “Seu esposo será o seu Criador” (Isaías 54,5).

empoderada pelo Espírito

Completamente de Deus

Sentiu um forte chamado a dar sua vida inteiramente a Jesus e na força do Espírito deixou sua família, sonhos e planos. Ingressou na Comunidade Vilarégia, onde se consagrou a Deus na vida Celibatária.

Já entregue à vontade de Deus que sopra onde quer, sentiu que o Senhor a pedia mais. Pedia que ela desse a vida em favor dos mais pobres, os não amados e em 1999, juntamente com os Padre Antonello e João Henrique, deu início a mais uma novidade do Espírito, que era a fundação da Aliança de Misericórdia.

Em nossa Comunidade testemunhamos a incansável Maria que amava os mutirões, sonhava sonhos grandes com a obra, e ao mesmo tempo, era única nos detalhes, no olhar para cada pessoa, florzinha do jardim e as pessoas pobres do bairro onde nossa casa mãe se encontrava. Ninguém necessitado passava desapercebido aos seus olhos!

Gostava de ser presente na formação dos jovens missionários e sua “firme doçura e doce firmeza” era a marca necessária para crescerem e também entregarem suas vidas. Era de fato uma mãe e autentica mulher!

Sim a vida!

No ano de 2005, Maria descobriu um câncer e a notícia abalou toda a Comunidade e inicialmente também a ela. Seria necessário ressignificar, refazer a vida, as atividades, o ritmo, a realidade que mais amava, pois a doença não a permitia viver tantas dessas coisas.

Aquilo que inicialmente era somente dor e aparentemente motivo de desespero, se tornou vida, principalmente para aqueles que a cercavam. Com a força do Espírito contemplamos o nascimento de uma nova mulher, resiliente, confiante em Deus e em seus planos. Uma mulher que transformou a lamentação e as dores da doença em um constante gesto de amor.

No hospital, cativava a todos com grande sorriso que trazia e muitos depoimentos ouvimos das pessoas, pacientes, enfermeiros e médicos que eram ajudados por ela com gestos, palavras ou apenas as palavras de carinho e gratidão.

Uma artista empoderada pelo Espírito

Durante a doença, se acentuou os dons como artista plástica. Inicialmente, trabalhou com desenhos em madeira com o pirógrafo (que ela precisou abandonar por conta da fumaça). Depois, com a confecção de cartões. Segundo ela, era a contribuição que ela poderia dar para os pobres, após a venda desses produtos.

Maria, antes de partir para a casa do Pai, nos deixou uma linda oração, que repetia diariamente e que foi seu grande combustível. Dentre outras palavras dizia:

Digo sim a vida, digo sim a vida que me deste. Digo sim à Sua vontade com um grande sorriso de gratidão.

Em julho de 2009, Maria foi para junto de Deus. Antes nos pediu que seu velório fosse uma grande festa de casamento, pois ela se encontraria com seu Esposo. E que as flores que seriam dedicadas a ela, fossem revertidas em um almoço para os pobres. Eram deles todos os seus bens!

Maria Paola é nosso exemplo de hoje de mulher empoderada pelo Espírito Santo, que aprendeu a amar a Deus sobre todas as coisas e fez da sua vida, fonte de vida para tantos, mesmo em meio à enfermidade.

Que esta seja a meta que nós como mulheres queiramos alcançar!

Danúbia do Menino Jesus,
Missionária da Comunidade de Vida

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password