Como identificar uma crise de ansiedade?

Todos nós temos ansiedade: isso precisa ficar claro! Para explicar de uma forma muito simples, a ansiedade é uma resposta emocional frente a um perigo.

Ação e reação

Estamos no meio de uma pandemia e essa realidade por si só, aumenta muito a ansiedade em nós. Não temos controle sobre o que será, o que acontecerá e muitos medos afloram.

Nossas preocupações se potencializam e se tornam mais frequentes. Não é à toa que o número de pessoas comentando que estão tendo crises de ansiedade aumentou significativamente.

Todos nós temos ansiedade: isso precisa ficar claro! Para explicar de uma forma muito simples, a ansiedade é uma resposta emocional frente a um perigo, uma ameaça real ou potencial sobre a qual não temos controle, não sabemos quando e como acontecerá.

Pode interessar: Setembro amarelo prevenção e solidariedade

Quando algo está errado?

Diante disso, nosso corpo fica em estado de alerta e se prepara psicológica e fisicamente para realizar sua defesa. Isso se torna um transtorno quando, ao menor estímulo, uma situação até então “normal”, cotidiana para nós, reagimos de uma maneira desproporcional com a realidade.

Outro fator é a frequência dessas reações, pois todos nós, frente a uma situação complexa e difícil, teremos uma reação de defesa ou fuga, teremos nossa ansiedade aumentada.

O que definirá se isso é um transtorno de ansiedade será se essas reações, se a minha ansiedade está constantemente excessiva por vários meses, me impedindo de vivenciar minha rotina.

A ansiedade gera uma constante preocupação com o que virá, o medo do futuro, do incerto e isso causa inúmeros prejuízos para a qualidade de vida da pessoa.

Reações físicas

O transtorno de ansiedade altera, ainda, os nossos sentidos (visão, paladar, olfato, tato, audição), gera uma extrema dificuldade de concentração, iniciar e terminar uma atividade.

Percebe que esses são fatores que norteiam todas as nossas atividades?

Uma pessoa com transtorno de ansiedade não sente completamente o gosto das comidas, não consegue definir muito bem o material do qual as coisas são feitas, se é algo macio, duro, com textura.

Esses sintomas demonstram o quanto a dificuldade que as pessoas com transtorno de ansiedade enfrentam prejudicam sua rotina no trabalho, nos relacionamentos e em todos os aspectos de sua vida.

Atenção aos sintomas

Outros sintomas comuns são:

  • a irritabilidade excessiva, ou seja, ao menor incômodo, nas pequenas frustrações a pessoa tende a ser mais explosiva, incisiva;
  • dificuldade para parar de se preocupar, mesmo em situações nas quais não existe uma ameaça;
  • alteração no sono, não consegue dormir à noite inteira ou tem dificuldade para deitar-se e dormir;
  • cansaço mental e físico, a pessoa sente-se sempre exausta e quando tem o momento para descansar, não consegue porque está sempre preocupada com o que precisa fazer, com o que pode acontecer;

dificuldade em organizar sua rotina, não consegue visualizar e estabelecer prioridades em suas atividades cotidianas.

Olha o mistério que Jesus nos ensina nesse trecho: nos “pré-ocupar” é tentar ter controle do desconhecido e do que não existe. Sabemos que só temos o hoje!

(Foto:unsplash.com/@all_who_wander)

Um detalhe importante

Diante desses sintomas, você pode observar como você tem vivido, reagido às situações e a frequência com que essas reações acontecem. Faço aqui uma ressalva: não tente ser seu próprio médico!

Se houver alguma dificuldade, existem profissionais altamente capacitados para te ajudar. Nós podemos nos observar, cuidar da nossa rotina, prestar atenção nas nossas reações e, é claro, que isso ajuda muito.

Mas, não termine de ler esse texto já determinando um diagnóstico para você, pois esse não é o intuito!

Esses sintomas são algumas dicas do que precisamos observar e, se percebermos que estamos vivenciando esses sintomas, precisamos mesmo buscar uma ajuda profissional de um psiquiatra e um psicólogo.

Ressalto, ainda, que muitas vezes o seu corpo reagirá de outras formas além desses sintomas que citei. Não hesite em pedir ajuda, principalmente nesse momento em que estamos vivendo.

É possível cuidar e tratar do transtorno de ansiedade, retomar suas atividades e reconquistar sua qualidade de vida!

À Luz da Palavra

Queria meditar brevemente uma passagem bíblica junto com você: “Não vos preocupeis, portanto, com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã se preocupará consigo mesmo” (cf. Mt 6, 34).

Olha o mistério que Jesus nos ensina nesse trecho: nos “pré-ocupar” é tentar ter controle do desconhecido e do que não existe. Sabemos que só temos o hoje!

Nós fomos criados para “ocupar” nosso lugar hoje nessa terra, ou seja, sermos quem somos, amar, cuidar da nossa saúde, buscar a intimidade com Deus, servir, trabalhar, construir, realizar, se doar e todas as demais possibilidades que nós temos em nossa existência. Quando não vivemos assim, chegam as enfermidades.

Mas, Deus sabe que nem sempre conseguimos lidar com algumas realidades sozinhos e por isso Ele nos deu os outros. O outro também me ajuda a ocupar o meu lugar.

Buscar ajuda profissional

Nas diversas possibilidades de existência, alguns optam por ocupar seu lugar cuidando dos outros através da medicina – que é um grande dom de Deus para a humanidade – e são essas pessoas que se tornam também a mão de Deus a nos ajudar nos momentos de crises e enfermidades.

Por isso, meu irmão e minha irmã, eu finalizo ressaltando a importância de buscarmos ajuda profissional! Busque também uma ajuda espiritual, afinal, você não é um ser meramente físico e psicológico!

Todas essas ajudas adequadas juntas te auxiliarão a ocupar o seu lugar e se realizar enquanto pessoa, filho(a) amado(a) de Deus!

Rosana Menezes
Missionária da Comunidade de Aliança do Movimento Aliança de Misericórdia em Salto/SP e Psicóloga.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password