fbpx

Comece hoje a novena a Santa Teresa de Calcutá

Pessoa segura foto de Madre Teresa

Santa Teresa de Calcutá disse certa vez ao seu padre Diretor: “Se eu alguma vez vier a ser santa, serei certamente a santa da “escuridão”. Estarei continuamente ausente do Céu – para ascender a luz daqueles que se encontram na escuridão da terra”.

Uma santa para o nosso tempo

Madre Teresa de Calcutá, conhecida como serva dos pobres, encantou o mundo com sua caridade e amor para com os mais sofridos. Depois de viver por 17 anos como freira e professora de um dos colégios da congregação, até que no dia 10 de setembro viveu uma experência mística com o Cristo.

“Tenho sede!” Ouviu de pobre que lhe estendia a mão. Ela ouvia o próprio Jesus que lhe pedia de saciar a sede e a partir dali começou a visitar com frequência dos miseráveis e dispensar-lhe cuidados.

Aos poucos seus atos atraíram a muitos e principalmente as jovens de Calcutá que se juntaram a madre em suas obras de caridade. No ano de 1949 ela escreveu as constituições e no ano seguinte a nova congreção as Irmãs da Caridade foi aprovada na Índia e no mundo inteiro.

Em defesa da vida

Com sua atuação, ensinou que a maior pobreza não estava nos subúrbios de Calcutá, mas nos países “ricos” quando falta o amor ou nas sociedades que permitem o aborto.

“Para mim, as nações que legalizaram o aborto são as nações mais pobres, têm medo de uma criança não nascida e a criança tem que morrer”, disse.

Primeiro dia – Conhecer Jesus Vivo

“Você conhece realmente Jesus vivo, não pelos livros, mas por estar com Ele no seu coração”.

“Estou convencido do amor de Cristo por mim e do meu por Ele? Esta convicção é a rocha sobre a qual a santidade é construída. O que devemos fazer para adquirir esta convicção? Devemos conhecer Jesus, amar Jesus, servir Jesus. O conhecimento te fará forte como a morte. Nós conhecemos Jesus através da fé: editando a Sua Palavra na Escritura, escutando-O falar através da Sua Igreja e através da íntima união da oração.”

Pensamento do dia:

“Não procures Jesus em terras distantes; Ele não está ali. Ele está perto de ti. Ele está em ti”.

Pedir a graça de um conhecimento íntimo de Jesus. Rezar a oração a Madre Teresa.

Segundo dia – Jesus te ama

“Estou convencido do amor de Cristo por mim e do meu por Ele? Esta convicção é como a luz do sol que faz a seiva da vida fluir e os botões da santidade desabrochar. Esta convicção é a rocha sobre a qual a santidade é construída”.

“Jesus te ama ternamente, és precioso para Ele. Volta-te para Jesus com grande confiança e deixa-te amar por Ele. O passado pertence à Sua misericórdia, o futuro à Sua providência, e o presente ao Seu amor”.

Pensamento do dia:

“Não tenhas medo! És precioso para Jesus. Ele te ama.”

Pedir a graça de acreditar no amor incondicional e pessoal de Jesus, por ti. Rezar a oração final.

Terceiro dia – Escuta-O a dizer-te: “Tenho sede”

“Na Sua agonia, na Sua dor, na Sua solidão Ele disse bem claro: «Por que me abandonaste?» Ele estava terrivelmente só e esquecido, sofrendo na Cruz… Neste momento tão difícil Ele proclamou: «Tenho sede»…

E as pessoas pensaram que esta sede era a habitual, e imediatamente deram-Lhe vinagre; mas não era disto que Ele tinha sede – era do nosso amor, do nosso afeto, dessa íntima ligação com Ele, desse compartilhar a Sua paixão.

E é estranha a expressão que Ele usou – «Tenho sede» – em vez de «Dai-me o vosso amor»… A sede de Jesus na Cruz não é imaginação. Ele disse: «Tenho sede». Escutemo-Lo a dizer isso a mim e a dizer isso a ti… Realmente é um dom de Deus”. “Se escutares com o teu coração, ouvirás, compreenderás…

Enquanto não souberes, bem no teu íntimo, que Jesus tem sede de ti, não poderás começar a conhecer quem Ele quer ser para ti. Ou quem Ele quer que tu sejas para Ele”.

Pensamento do dia:

“Já pensaste? Deus está sedento e quer que tu e eu nos ofereçamos para saciar a Sua sede”.

Pedir a graça de compreender o grito de sede de Jesus.

Rezar a oração final.

Quarto dia – Nossa Senhora te ajudará

“Temos tanta necessidade que Maria nos ensine o que significa saciar o Amor Sedento de Deus para conosco que Jesus nos veio revelar! Ela o fez admiravelmente.

Sim, Maria deixou que Deus tomasse posse da sua vida pela sua pureza, pela sua humildade e pelo seu amor fiel… Procuremos crescer, sob a direção da nossa Mãe do Céu, nessas três importantes atitudes interiores da alma que encantam o coração de Deus e Lhe permitem unir-se a nós, com Jesus e através de Jesus, no poder do Espírito Santo.

É fazendo assim que, como Maria, nossa Mãe, deixamos que Deus tome posse de todo o nosso ser, completamente – e através de nós, Deus será capaz de estender o Seu Amor Sedento a todos os que entrem em contato conosco, especialmente os pobres”.

“Se ficarmos com Nossa Senhora, ela nos dará o seu espírito de confiança amorosa, abandono total e alegria”.

Pensamento do dia:

“Como devemos estar perto de Nossa Senhora, ela que compreendeu a profundeza do Amor Divino que lhe foi revelado quando ficou de pé junto da Cruz e ouviu Jesus gritar: «Tenho sede!»”

Pedir a graça de aprender com Nossa Senhora a saciar a sede de Jesus, como ela fez.

Rezar a oração final.

Quinto dia – Confia cegamente em Jesus

“Ama-O confiantemente, sem olhar para trás, sem medo. Entrega-te por completo a Jesus. Ele te utilizará para realizar grandes coisas com a condição de que acredites muito mais no Seu amor do que na tua fraqueza.

Acredita n’Ele, confia n’Ele, com cega e absoluta confiança, porque Ele é Jesus”.

“Com toda a sinceridade devemos ser capazes de olhar e dizer: «Tudo posso n’Aquele que me fortalece». Devido a esta afirmação de São Paulo, deves ter uma certa confiança ao fazer o teu trabalho – aliás, o trabalho de Deus – bem, eficientemente, até perfeitamente, com Jesus e para Jesus.

Convence-te também que por ti próprio não podes fazer nada, ter nada, senão pecado, fraqueza e miséria, pois todos os dons da natureza e da graça que tens vêm de Deus”.

Pensamento do dia:

“A confiança em Deus pode fazer tudo. É do nosso vazio e pequenez que Deus precisa, e não da nossa abundância”.

Pedir a graça de uma confiança inabalável no poder de Deus e no Seu amor por ti e por todos.

Rezar a oração final.

Sexto dia – O verdadeiro Amor é Abandono

“Que fácil é conquistar Deus! Nós nos damos a Deus e assim Deus é nosso; e não há nada mais nosso do que Deus. Pois se nos abandonamos a Ele, haveremos de O possuir como Ele se possui, isto é, viveremos a Sua própria vida.

O preço com que Deus paga o nosso abandono é Ele mesmo. Nós nos tornamos dignos de possuí-Lo quando nos abandonamos a Ele de uma maneira sobrenatural. O verdadeiro amor é abandono. Quanto mais amamos, mais nos abandonamos”.

“Por vezes vemos fios elétricos, pequenos e grandes, novos e velhos, baratos e caros, alinhados. A menos que, e até que a corrente passe através deles, não haverá luz.

O fio é você e eu. A corrente é Deus. Temos o poder de deixar a corrente passar através de nós, de usar-nos e produzir a Luz do Mundo – Jesus; ou recusar sermos usados e permitir que a escuridão se espalhe. Nossa Senhora foi o fio mais maravilhoso.

Ela permitiu que Deus a preenchesse inteiramente, e assim pelo seu abandono – «seja feito em mim segundo a Tua palavra» – Ela se tornou cheia de graça; e naturalmente desde o momento que Ela foi preenchida por esta corrente, a graça de Deus, foi apressada à casa de Isabel para conectar o fio, João, à corrente, Jesus”.

Pensamento do dia:

“Permite a Deus que te use sem te consultar”. Pedir a graça de abandonar a vida inteira a Deus.

Rezar a oração final.

Sétimo dia – Deus ama quem dá com alegria

“Para trazer a alegria à nossa alma, o Bom Deus tem-Se dado a nós… A alegria não é simplesmente um assunto de temperamento. O serviço a Deus e às almas é sempre duro – então, maior razão para tentar adquiri-la e fazê-la crescer em nossos corações.

A alegria é oração. A alegria é força. A alegria é amor. Deus ama quem dá com alegria. Dá mais quem dá com alegria. Se no trabalho tens dificuldades e as aceitas com alegria, com um grande sorriso, nestas como em outras coisas, os outros verão as tuas boas obras e glorificarão o Pai.

A melhor maneira de mostrar a nossa gratidão a Deus e às pessoas é aceitar tudo com alegria. Um coração alegre é a consequência normal de um coração ardente de amor”.

“A alegria foi a força de Nossa Senhora também. Nossa Senhora foi a primeira Missionária da Caridade. Ela foi a primeira a receber Jesus fisicamente e a levar Jesus aos outros; e foi apressada.

Somente a alegria lhe podia ter dado esta força e ligeireza para ir e fazer o trabalho de uma serva”.

Pensamento do dia:

“A alegria é sinal de união com Deus, da presença de Deus. A alegria é amor, é consequência normal de um coração ardente de amor”.

Pedir a graça da alegria no amar e de partilhar esta alegria com todos aqueles que encontramos.

Rezar a oração final.

Oitavo dia – Jesus fez-se o Pão da Vida e o Faminto

“Ele provou o Seu amor por nós dando-nos a Sua própria vida, o Seu próprio ser. «Sendo rico, fez-se pobre» por ti e por mim. Ele se deu a si mesmo totalmente. Morreu na Cruz, mas antes de morrer fez-se o Pão da Vida para saciar a nossa fome de amor, a nossa fome d’Ele.

Ele disse «Se não comeres a Minha Carne e beberes o Meu Sangue não terás a vida eterna». E a grandeza deste Seu amor fez com que Ele se tornasse o Faminto. Ele disse «Tive fome e me destes de comer» e «se não me comeres não terás a vida eterna».

É assim o doar-se de Cristo. E hoje, Deus continua a amar o mundo. Ele continua enviando a ti e a mim, para provar que Ele ama o mundo, que ainda tem compaixão do mundo.

Somos nós que devemos ser o Seu amor, a Sua compaixão no mundo de hoje. Mas para sermos capazes de amar devemos ter fé, pois a fé em ação é amor, e amor em ação é serviço.

Por isso Jesus se fez o Pão da Vida, para que possamos comer e viver, e ser capazes de vê-Lo no disfarce doloroso dos pobres”.

“A nossa vida deve ser tecida com a Eucaristia. De Jesus na Eucaristia, aprendemos como Deus tem sede de nos amar, e como Ele tem sede do nosso amor e do amor das almas em resposta. De Jesus na Eucaristia, recebemos a luz e a força para saciar a Sua sede”.

Pensamento do dia:

“Acreditar que Ele, Jesus, está na aparência do Pão e que Ele, Jesus, está no faminto, no nu, no doente, no solitário, no não amado, no desabrigado, no indefeso e desesperado”.

Pedir a graça de ver Jesus no Pão da Vida e de servi-Lo no disfarce doloroso dos pobres.

Rezar a oração final.

Nono dia – A Santidade é Jesus vivendo e agindo em mim

“As nossas obras de caridade não são outra coisa que o transbordar do amor de Deus, a parir do nosso interior. Portanto, aquele que mais unido estiver a Ele, será o que mais ama o seu próximo”.

“Desgastemo-nos com Ele e por Ele. Deixa-O olhar com os teus olhos, falar com a tua boca, trabalhar com as tuas mãos, caminhar com os teus pés, pensar com a tua cabeça e amar com o teu coração.

Não é isso a perfeita união e a oração contínua e amorosa? Deus é o nosso Pai Amoroso. Deixa a sua Luz de amor brilhar de tal maneira diante dos homens, que vendo as tuas boas obras (lavar, varrer, cozinhar, amar o esposo e os filhos) eles glorifiquem o Pai”.

Pensamento do dia:

“A caridade de uns para com os outros é o caminho mais seguro para alcançar a santidade”. Pedir a graça da santidade. Rezar a oração a Madre Teresa.

Oração Final para todos os dias

Santa Teresa de Calcutá, tu permitiste ao sedento amor de Jesus na Cruz tornar-se uma chama viva dentro de ti, e assim te tornaste luz do Seu amor para todos.

Obtém do Coração de Jesus (faça seu pedido). Ensina-me a deixar Jesus penetrar e possuir todo o meu ser, tão completamente, que a minha vida também possa irradiar a Sua luz e amor para os outros. Amém. Imaculado Coração de Maria, causa da nossa alegria, rogai por mim. Santa Teresa de Calcutá, rogai por mim.

Novena extraída do site Novenas Totus Tuus

Com informações de ACI Digital

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password