fbpx

A espiritualidade do presépio e seu criador

Você sabe que o inventor do presépio foi São Francisco de Assis? Quem narra a cena é Tomás de Celano.

Diz ele, que o pai seráfico, tinha o desejo profundo de viver o evangelho de maneira perfeita que, estando em peregrinação 15 dias antes do Natal, resolveu reproduzir o local onde Jesus havia nascido. Dirigiu-se a um homem de nome João do vilarejo de Greccio e pediu que o ajudasse. Disse:

“Se você quiser que nós celebremos o Natal de Greccio, é bom começar a preparar diligentemente e desde já o que vou dizer. Quero lembrar o menino que nasceu em Belém, os apertos que passou, como foi posto num presépio, e ver com os próprios olhos como ficou em cima da palha, entre o boi e o burro”.

Detalhe da gruta na cidade italiana de Greccio onde São Francisco de Assis montou o primeiro presépio
Detalhe da gruta na cidade italiana de Greccio onde São Francisco de Assis montou o primeiro presépio.

No Natal de 1226, São Francisco convidou os frades e o povo para celebrar o Natal numa gruta decorada.

A simplicidade do cenário ajudava a ver a pobreza e a humildade com a qual Deus veio ao nosso encontro. Neste presépio não haviam estátuas, havia apenas uma comunidade de cristãos que recordava a simplicidade do Natal do Senhor.

Aos poucos, cada família tomou o hábito de acrescentar elementos citados nos evangelhos: Maria, José o Menino, a estrela e os pastores.

Catequizar através do presépio

O presépio contém em si todos os elementos básicos da catequese cristã e é possível evangelizar, principalmente as crianças, através dele. Seguimos a narração do nascimento de Jesus segundo São Lucas (Lc 2, 1-20) e São Mateus (Mt 2, 1-12).

Belém: a menor cidade, quase insignificante, mas, que foi escolhida para acolher o Salvador (Mt 2, 6). Mil anos antes o rei Davi nascia ali.

Noite: a noite é significativa na história da salvação. Foi numa noite que Deus libertou o povo do Egito (Ex 12, 12). Foi também numa noite que o Cristo viveu sua agonia e logo depois ressuscitou; nesta noite a Luz do mundo rompe a escuridão e vem habitar no meio de nós (Is 9, 2;). O pecado nos faz andar na escuridão, aceitando o Cristo, começo, então, a andar na luz.

Os pastores na noite de Belém
A noite na história da Salvação tem grande símbolo.

Estrela: este astro que para alguns povos antigos servia de sinal para prever o futuro e era até objeto de culto, agora aponta para um acontecimento extraordinário: o nascimento de um rei (Mt 2, 1-2). Todas as forças do universo apontam para a chegada de Deus Encarnado na Terra.

Os Magos do Oriente: A presença de pessoas de outras nações quer passar a mensagem de que a salvação é para todos aqueles (não judeus) que creriam que Deus veio ao mundo por Jesus Cristo, verdadeiro Deus, verdadeiro Homem.

Os reis magos se seguem a Estrela de Belém
Os magos sentiram a alegria voltar quando virar a estrela.

Gruta/estábulo: pode simbolizar a pobreza da humanidade assumida por Jesus. Que rei escolheria uma gruta (ou estábulo) para manifestar a todos o seu poder e tornar sua morada?

Manjedoura: Seu primeiro lugar de repouso nem era destinado para tal coisa; servia para deitar o feno que alimentava os animais. Lembramos da passagem do evangelho que diz “o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mt 8, 20). O fato da manjedoura ser usada para refeição faz também alusão ao Cristo Pão da vida (Mt 26, 26).

Menino Jesus: Quando vemos uma criança sentimos medo dela? O Criador do universo veio até os seus, como uma criança, para dizer “Não tenhais medo, quero só estar nos seus braços”. A salvação está próxima, Deus se deixa encontrar e tocar, como fazemos com um bebê.

Detalhe de recém-nascido na majedoura
“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós”.

Maria: A Virgem que concebeu (Is 7, 14), a mulher cuja a descendência esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3, 15), nos aponta o caminho da salvação.

José: Descente de Davi (Is 11, 1), o último patriarca do Antigo testamento. Homem fiel que simboliza o povo que fielmente esperava a promessa de Deus para o seu povo.

José, Maria e o Menino Jesus
José era um homem justo e digno de acolher a mãe do Salvador.

Os animais: O boi era um dos animais usados no sacrifício de expiação dos pecados, também o cordeiro. Podemos lembrar de como Jesus assumiu sobre si os nossos pecados para nos dar a vida.

Os anjos e pastores: os anjos são mensageiros de Deus e por ocasião de tão grande evento para o mundo, são enviados por Deus para anunciar aos pobres. Os pastores, por sua vez, tinham um ofício que os tornavam “impuros”. Um ditado popular rabínico dizia: “Nenhuma classe no mundo é tão desprezível quanto a classe dos pastores”.

Pintura retrata a visita dos pastores
Os anjos vieram do Céu e primeiro se dirigiram aos mais pobres dos pobres.

Então, ainda dá tempo de montar seu presépio e de quebra contar toda a história da salvação para sua família.

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password