Você doa, Deus multiplica, nossos irmãos sorriem

“Ao entregar o café da manhã na Restaura-me para os irmãos de rua, um dos irmãos olhou e disse-me: ‘Irmã, hoje tem missa?’ Respondi: “Devido à pandemia não teremos, pois não podemos ter aglomeração. Ele disse: ‘Poxa! Eu vim de longe, caminhando, só para ouvir a Palavra de Deus. Tô precisando falar com Deus’. Em seguida ele foi tomar café, continuei servindo o café, mas inquietou-me o coração do quanto esse irmão estava sedento de Deus. Ao encerrar o café chamei-o para conversar e disse a ele: ‘você veio buscar Deus hoje e não posso deixar você sair daqui vazio. E perguntei: ‘Posso rezar por você?’ Ele logo respondeu: ‘CLARO!!!’ E abriu um grande sorriso (…)

Chegamos ao mês de junho e já passamos o número de 70 dias em quarentena por conta da pandemia do Covid-19. Nesse tempo, dentre os serviços essenciais que continuaram a funcionar, as nossas atividades junto aos mais vulneráveis também se mantiveram ativas, atendendo ainda mais pessoas.

Diariamente, colocamos em nossas redes sociais imagens das doações que recebemos, sejam elas pontuais ou de parceria, que essencialmente têm contribuído para que não deixemos de ajudar aqueles que o Senhor nos envia.

Ponte de misericórdia

Missionária durante entrega de alimentos a irmão em situação de rua, em BH

E eles são muitos, por isso, sabemos que cada doação parte antes da Infinita Misericórdia de Deus, que nos usa como ponte entre a generosidade do seu coração, que tem nos ajudado, e a miséria em que o outro se encontra.

Todas as doações estão sendo destinadas às nossas atividades nas Casas Restaura-me (São Paulo, Manaus), casas de acolhida (Piracicaba, Rio das Pedras, São Roque, Tremembé, São José dos Campos e Barbacena), e à 1500 famílias atendidas pela Aliança. Também, indo às ruas de 5 cidades realizando ações sociais, ao encontro dos que vivem nessa situação. 

 

 

A quem chega a sua doação

 “(…) Ele comia saboreando. Aproximei-me dele e perguntei se poderia tirar uma foto pois parecia comer com muito gosto. Ele disse: ‘parece não, está muito, mas muito gostoso. Faz dias que não como algo assim tão gostoso’. E agradeceu”.

Agrademos a Deus por essa corrente de generosidade que passa por suas mãos. Têm sido tempos difíceis, contudo, sabemos que, ainda assim, há muitos motivos para louvar, na certeza de que Ele está conosco todos os dias.

Dentre as doações, recebemos ajuda financeira, alimentos, produtos de higiene e cobertores. Veja abaixo esse número contabilizado, no período entre março e maio.

Além das doações que temos conhecimentos, muitos a fazem de forma anônima, e por esses também estendemos as nossas orações.

Continue sendo instrumento de transformação

Os tempos atuais são incertos, mas, a única certeza é de que tudo vai passar e o que permanecerá é o bem que fizemos ao próximo. Ajude fazendo sua doação em dinheiro ou doando alimento, material de higiene e limpeza.

1 – Transferência/Depósito Bancário de qualquer valor
Associação Aliança de Misericórdia
CNPJ: 04.186.468-0005-05
Banco Bradesco 237
Agência 3137-2
C/C 8637-1

2 – Doações:

Produtos de limpeza, higiene pessoal, alimentos ou dinheiro, entre em contato pelo número: (11) 94192 0806 com Cristiane Araújo.

Motivos para continuar

Todos os dias, nossos atendidos deixam seu agradecimento, que revigora todo ânimo abatido e nos faz permanecer com os trabalhos, louvando a Deus por sua ajuda que toca tantos irmãos: “Quero agradecer por esse tempo de convivência na casa Restaura-me, nesse tempo de pandemia, onde vocês estão nos proporcionando Kits e orientações. Tenho muito a agradecer de coração” (Diogo, atendido da Casa)

“Porque tive fome, e me deste de comer; tive sede, e me deste de beber (Mateus 25-35)”.

“Hoje, no café da manhã, na Casa Restaura-me, graças às doações que chegaram, conseguimos servir: panetone e pão com queijo. Os irmãos sentiram-se muito amados, um irmão específico chamou-me a atenção. Ele comia saboreando. Aproximei-me dele e perguntei se poderia tirar uma foto pois parecia comer com muito gosto. Ele disse: ‘parece não, está muito, mas muito gostoso. Faz dias que não como algo assim tão gostoso, e agradeceu” (Testemunho coletado pela missionária Vanessa Santos, responsável pela Casa Restaura-me).

“Era isso que eu precisava…”

“Ao entregar o café da manhã na Restaura-me para os irmãos de rua, um dos irmãos olhou e disse-me: ‘Irmã, hoje tem missa?’ Respondi: “Devido à pandemia não teremos, pois não podemos ter aglomeração. Ele disse: ‘Poxa! Eu vim de longe, caminhando, só para ouvir a Palavra de Deus. Tô precisando falar com Deus’. Em seguida ele foi tomar café, continuei servindo o café, mas inquietou-me o coração do quanto esse irmão estava sedento de Deus. Ao encerrar o café chamei-o para conversar e disse a ele: ‘você veio buscar Deus hoje e não posso deixar você sair daqui vazio. E perguntei: ‘Posso rezar por você?’ Ele logo respondeu: ‘CLARO!!!’ E abriu um grande sorriso. Então, perguntei pelo que gostaria que eu rezasse? Disse-me estar com muito medo de morrer por causa do Covid-19 e começou a chorar. Então rezei por ele e disse o quanto ele era amado por Deus. Ao acabar a oração olhou-me e disse: ‘Obrigado era isso que eu precisava. Sinto em meu coração uma paz muito grande!! Irei atrás da minha filha que a anos não vejo, pedir perdão por tudo de errado que eu fiz’. Deus seja louvado pela vida desse irmão que nesse dia foi saciado por Deus” (Testemunho coletado pela missionária Vanessa Santos, responsável pela Casa Restaura-me).

Atendimento na Restaura-me em São Paulo

A Casa Restaura-me adaptou-se ao atendimento nesse tempo. Além dos funcionários, que receberam os devidos EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) para o trabalho, para evitar o contagio, alguns serviços estão suspensos, contudo, os essenciais continuam.

Os conviventes recebem café da manhã, almoço, local para lavarem as roupas, atendimento de serviço social e banho. Além disso, ao invés das fichas de atendimento, agora os atendidos recebem uma pulseira que dá acesso aos serviços da Casa, há recipientes com álcool em gel espalhados pelos espaços do local e todos precisam respeitar o distanciamento necessário.

Os encaminhamentos às casas de acolhida continuam. Contando com uma parceria com o projeto “Com Deus tem Jeito”, no período entre março e maio, 124 pessoas foram encaminhadas às casas de acolhida da Aliança e outras instituições parceiras. Também, dos atendidos, dois deles retornaram às suas famílias de origem.

Que essa alegria de vermos irmãos ajudados e restaurados chegue ao seu coração com gratidão e como um abraço da misericórdia de Deus!

Atendido na Casa Restaura-em em São Paulo rezando

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password