fbpx

Santa Paulina – A primeira Santa brasileira

“A oração é oferenda silenciosa de confiança em Deus”.

 

Santa PaulinaSanta Paulina do Coração Agonizante de Jesus foi a primeira santa brasileira. Apesar de ter nascido na Itália, viveu quase toda sua vida no Brasil, e foi a primeira santa do Brasil a ser canonizada.

Ela que foi uma alma devota a Deus, que dedicou sua vida para o cuidado dos doentes e pobres.

Santa Madre Paulina é um grande exemplo para todos os brasileiros. Ela viveu em nosso país, na mesma realidade que cada um de nós, e viveu uma vida de virtudes heroicas, assim como todos os santos da Igreja.

Com sua vida dedicada Àqueles que precisam, Santa Paulina é um espelho que reflete a Deus, e nos inspira a vivermos a santidade em nossa realidade.

Sabemos que é possível, sabemos que uma jovem dedicou no Brasil sua vida aos que precisam, por amor a Deus.

Em 2019, outra beata brasileira foi canonizada: Santa Dulce, assim como Santa Paulina, dedicou sua vida aos pobres e necessitados. Enquanto Santa Dulce atendeu os mais carentes, Santa Paulina atendeu os doentes, agonizantes, ex escravos, etc.

Conheça um pouco mais sobre a história de Santa Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus:

 

 

Biografia de Santa Madre Paulina:

Amábile Lucia Visintainer nasceu em Trento (norte da Itália) em 16 de dezembro de 1865.

Seus pais Napoleão e Ana eram cristãos devotos, mas muito pobres. Por isso, sua família veio para o Brasil em 1875, para uma comunidade italiana de Santa Catarina chamada Nova Trento.

Durante sua adolescência, a jovem começou a participar do apostolado paroquial, cuidando dos doentes e idosos. Com a permissão de seu pai, a santa construiu uma pequena casa, em terreno doado por um barão, onde rezava, recebia os enfermos e ensinava as crianças.

12 de julho de 1890 é considerado a data de fundação da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, a primeira congregação feminina fundada no país, que começou com o trabalho de Amábile e Virginia (sua melhor amiga) naquela pequena casa.

Ainda em 1890, Amábile e sua amiga fizeram seus votos religiosos. Amábile passou a se chamar Paulina do Coração Agonizante de Jesus e foi nomeada superiora da Congregação que passou a atrair diversas vocações.

Em 1903, Paulina foi convidada a se mudar para São Paulo. Estabeleceu-se no bairro do Ipiranga, onde fundou a obra “Sagrada Família” para acolher os ex-escravos e seus filhos. Em 1918, a Igreja brasileira deu reconhecimento a suas virtudes por seu exemplo vocacional.

Em 1938, contraiu diabetes. Tiveram que amputar o seu braço direito e, posteriormente, ficou cega devido à enfermidade.

Santa Paulina faleceu em 9 de julho de 1942.  Foi Beatificada em 1991 pelo Papa São João Paulo II durante a visita ao Brasil e canonizada em 19 de maio de 2002.

 

Milagres de Santa Paulina:

Foram 2 os milagres que levaram à canonização de Santa Paulina:

  1. O primeiro milagre foi registrado em Imbituba (SC), no qual foi reconhecida a cura instantânea de Eluíza Rosa de Souza, que possuía um quadro gravíssimo com risco de morte. Após diagnosticarem que o seu filho estava morto no útero havia três meses, os médicos realizaram uma curetagem.

A operação foi delicada e teve várias complicações, levando Eluíza a um estado de coma. Colocaram sobre o seu peito uma imagem de Madre Paulina. Espantosamente foi apresentada melhora gradual.

O caso foi discutido e, posteriormente, o Santo Padre o ratificou em decreto, aprovando as conclusões da Congregação para as Causas dos Santos.

  1. Já o segundo milagre comprovado ocorreu com a menina Iza Bruna Vieira de Souza, de Rio Branco (AC). Ela nasceu com má formação cerebral, diagnosticada como “meningoencefalocele occipital de grande porte”.

No quinto dia de vida, foi submetida, embora anêmica, a uma cirurgia e, depois de 24 horas, apresentou crises convulsivas e parada cardiorrespiratória.

A avó da menina, Zaira Darub de Oliveira, rezou à Madre Paulina durante toda a gestação da filha e durante o período no hospital.

A menina Iza Bruna foi batizada no próprio hospital, dentro do balão de oxigênio, e logo se recuperou.

(Fonte: Santuário Santa Paulina)

 

Canonização de Santa Madre Paulina:

Na homília de sua canonização, o Papa ressaltou as virtudes heroicas de Santa Paulina: humildade, caridade, fé, simplicidade e vida de oração; e afirmou:

“A ação do Espírito se manifesta de modo especial também na vida e missão de Madre Paulina, inspirando-a a constituir, juntamente com um grupo de jovens amigas, uma casa de acolhida, pouco depois batizada pelo povo de “Hospitalzinho São Virgílio”, destinada à atenção material e espiritual de doentes e desamparados.

Nasce assim, para atender os planos da Providência, a primeira Comunidade religiosa do sul do Brasil, denominada Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Foi neste Hospital, que o ser-para-os-outros constituiu o pano de fundo da vida de Madre Paulina.

 No serviço aos pobres e aos doentes, ela tornara-se manifestação do Espírito Santo, “consolador perfeito; doce hóspede da alma; suavíssimo refrigério”.

 

Oração à Santa Madre Paulina:

“Ó Santa Paulina, que puseste toda a confiança no Pai e em Jesus e que, inspirada por Maria, decidiste ajudar o povo sofrido, nós te confiamos a Igreja que tanto amas, nossas vidas, nossas famílias, a Vida Consagrada e todo o povo de Deus.

(Pedir a graça desejada)

Santa Paulina, intercede por nós, junto a Jesus, a fim de que tenhamos a coragem de lutar sempre, na conquista de um mundo mais humano, justo e fraterno. Amém”.

Pai-Nosso – Ave Maria – Glória

Santa Paulina, rogai por nós.

0 Comments

    Leave a Comment

    10 − quatro =

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password