fbpx

Santa Joana D’arc – Conheça quem realmente foi a Santa

Santa Joana D’arc é uma figura marcante e muito conhecida mundialmente. Presente em histórias, contos, filmes, desenhos e até animes, ela mexe com o imaginário popular e foi falsamente utilizada pelo movimento feminista nas últimas décadas.

Veja quem foi realmente Santa Joana D’arc, que viveu durante a Guerra dos 100 anos e sua importância para a Igreja e para a história mundial.

Pequena Biografia de Santa Joana D’arc

Nasceu em 1412, num pequeno vilarejo na França. Era filha de camponeses e passou sua infância ajudando os pais, com trabalhos domésticos e pastoreando os rebanhos.

Desde criança sentia o chamado a uma vida contemplativa, gostava de se retirar para rezar em locais altos e era muito participativa na paróquia local.

Com apenas 13 anos teve sua primeira experiência sobrenatural:

 “Quando eu tinha mais ou menos 13 anos, ouvi a voz de Deus que veio ajudar-me a me governar. Eu ouvi a voz do lado direito, quando ia para a igreja. Depois que ouvi esta voz três vezes, percebi que era a voz de um anjo. Ela me ensinou a me conduzir bem e a frequentar a igreja”.

O anjo do Senhor falou-lhe e lhe ensinou a virtude da temperança e da prudência, muito importantes em seu futuro.

Contexto histórico da França

Durante sua vida, a França, seu país, passava por uma grande provação: a Guerra dos 100 anos com a Inglaterra.

A França, na época, era um dos grandes países católicos, sofria a tentativa de invasão por parte dos ingleses, desde 1337.

Em 1420, o rei francês perdeu o trono para o rei inglês e a França corria o risco de deixar de existir como país. Anos mais tarde, a Inglaterra se tornaria protestante e perseguiria os católicos. Esse era o risco que a França corria: deixar de ser um país e futuramente perder sua religião.

Santa Joana D’arc chamada por Deus

Quanto completou 17 anos, Santa Joana D’arc foi avisada pelo anjo que a acompanhava que era hora de agir em favor da França.

Convenceu o capitão francês Roberto de Baudricourt a levá-la ao rei “não empossado” da França, Carlos VII.

A jovem dizia que era vontade de Deus que Carlos VII fosse coroado, e que ela deveria liderar seu exército, pois tinha ao seu lado o Anjo do Senhor, São Miguel aquele que é o chefe da Milícia Celeste.

Para testar a veracidade do que ouvira dizer sobre Joana, o rei disfarçou-se na sala e colocou um falso rei no trono. Quando Santa Joana foi apresentada ao falso rei, não deu a ele nenhuma importância.

Imediatamente passou a procurar entre os presentes no recinto até encontrar Carlos, que estava escondendo-se em um canto. Fixando nele o olhar, fez-lhe a devida reverência e disse: “Muito nobre senhor Delfim (rei), aqui estou. Fui enviada por Deus para trazer socorro a vós e vosso reino“.

Com essa tamanha demonstração de que a Sabedoria de Deus estava com ela, Carlos VII colocou os exércitos a disposição da jovem.

Santa Joana impunha com sua presença um ânimo diferente aos soldados, com sua inocência e sabedoria os animava a lutar pelos valores certos. Convenceu os soldados a se confessarem e comungarem antes da batalha.

Sob sua liderança, e seguindo seus conselhos, os exércitos franceses venceram diversas batalhas. Santa Joana D’arc sempre portava um estandarte com a imagem de Cristo e os nomes Jesus e Maria.

Em 1429 o Rei Carlos VII é coroado e o reino da França é restaurado.

Ingratidão e Martírio

Após conquistar o trono, o rei se esqueceu da jovem santa e abandonou-a. Ela continuou a lutar pela libertação de seu país.

Joana acabou presa em Compiègne, e foi levada a um falso tribunal da Inquisição, que foi chefiado por um bispo corrupto.

Apesar da defesa feita assombrosa pela própria Joana, inspirada por Deus, sem um defensor do Estado a que tinha direito, ela foi condenada por bruxaria e heresia a ser queimada em praça pública.

Em 30 de maio de 1431, com apenas 19 anos, a Santa foi martirizada, sem esmorecer, olhando fixamente a cruz. Algumas tradições afirmão que nesse momento São Miguel a protegeu e não permitiu que sentisse dor.

Santa Joana D’arc, Virgem e Santa

Joana D’arc foi canonizada no dia 30 de maio de 1920, ela que de fato representa o oposto do movimento feminista.

Ela que viveu a submissão a Deus, a obediência as autoridades, a virgindade e pureza, o serviço aos outros, o amor à Pátria e à família, e deu sua vida por amor a cristandade e a seu lar, que lutou pela dignidade do seu povo que passava fome e morria em guerras.

Um grande exemplo de mulher, que com sua feminilidade venceu batalhas e com seu amor a Deus alcançou a palma da santidade.

Oração a Santa Joana D’Arc

“Ó Deus, que nos alegrais com a comemoração de Santa Joana d’Arc, concedei que sejamos ajudados pelos seus méritos e iluminados pelos seus exemplos de castidade e fortaleza. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.”

Santa Joana D’arc rogai por nós.

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember me Lost your password?

    Lost Password