Do ordinário ao extraordinário do cotidiano

Ao canonizar São Josemaria Escrivá, o papa João Paulo II deu a ele o título de “santo do cotidiano”, justamente porque o fundador do Opus Dei defendia uma vida de santidade vivida no dia-a-dia, abençoando a rotina e dando a ela o “toque extraordinário” de Deus.

Tudo pelo Reino

Cada coisa pode ser para a glória de Deus.

São Josemaria, como todo santo, tinha por desejo cumprir plenamente a vontade de Deus. E ele via na rotina da vida comum um meio de santificação.

Como posso viver santamente fora de um mosteiro, abadia, convento ou seminário? Santificando cada instante da minha vida!

Fazer tudo pelo Reino deveria ser uma prorrogativa de todos os cristãos, que são chamados a serem outros Cristos, pequenos Cristos em suas realidades diárias, dando a Deus a primazia em tudo que fazem durante o dia: trabalho, estudo, vida familiar, amizades, dentre outros momentos.

“Tens de permanecer vigilante, para que os teus êxitos profissionais ou os teus fracassos – que virão! – não te façam esquecer, nem por um instante, qual é o verdadeiro fim do teu trabalho: a glória de Deus!” (Forja, 74).

Ser gente de verdade

“Quando uma alma se esforça por cultivar as virtudes humanas, o seu coração está já muito perto de Cristo” (Amigos de Deus, 91).

Costumo dizer que o santo é aquele que entende o que é ser gente de verdade e que luta para que sua vida esteja sempre em conformidade com o coração de Deus e Seus projetos de amor.

Assim era Monsenhor Escrivá: “homem de grande humanidade”, como João Paulo II também sublinhou numa homilia sobre o santo. São Josemaria sabia que mesmo sendo padre, precisava ir além das obrigações de seu ministério: era preciso dar a Deus TODOS os instantes de sua existência, transformando o ordinário em extraordinário, assim como acontece nos tempos litúrgicos.

Sim. Na liturgia vemos tempos litúrgicos extremamente festivos, como o Advento e o Tempo do Natal, a Quaresma e o Tempo da Páscoa. Mas e o Tempo Comum, o que faz com que ele não seja apenas um período intermediário entre as grandes festas? A presença de Jesus!

Jesus é quem transforma, se assim O permitirmos, o comum em especial, o ordinário em extraordinário, o rotineiro em festa.

Nossa Missão

O santo fundador do Opus Dei era um apaixonado pela Cruz, pela Vida e pelas almas. Sendo assim, entendia que estamos no mundo e estando nele temos uma missão: com nossa vida e presença que testemunha o Amor redimirmos o mundo com Cristo.

Peçamos, então, a sua intercessão, para que como batizados, homens e mulheres que querem o Reino, sejamos aqui e agora, instrumentos de santificação de uma humanidade que tem se afastado do seu Redentor.

São Josemaria Escrivá, rogai por nós para que sejamos dignas testemunhas de Cristo onde quer que estejamos. Amém!

Robson Landim, jornalista e colaborador da Aliança

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password