Amar sem medida

“Aquele que diz estar na luz, mas odeia o seu irmão, ainda está nas trevas”. (I Jo 2, 9)

Uma noite aconteceu que, logo após a Missa, ministramos um momento de perdão no relacionamento entre pais e filhos. Uma senhora que estava presente, voltando para casa logo preparou a mala para viajar. O marido ficou espantado e tentou convencê-la a desistir de viajar naquele dia, pois já era meia-noite. A senhora insistiu, dizendo que deveria partir para se encontrar com o pai, que não via há mais de 20 anos.

A verdade era que ela tinha uma profunda mágoa do pai, e uma voz interior lhe falava para que fosse reconciliar-se com ele. Então…ela viajou! Na madrugada, telefonou para a casa de sua irmã, sendo informada por seu cunhado que o pai estava na UTI. A irmã ficou extremamente feliz, porque o pai, bem perto da morte, também queria reconciliar-se com todos os filhos, mas estava triste porque faltava somente esta filha que vivia em São Paulo. Chegando à cidade, a filha logo foi levada para o hospital – e quão grande foi a alegria de poder se reconciliar com o pai antes de sua morte, de viver aquele momento abraçada com o pai, na paz do coração. Creio que esta senhora tinha entendido claramente o versículo da carta de João. Não podia dizer estar na luz se odiasse o seu pai.

(…)

Existe um único inimigo que gera a divisão e inimizade entre nós: o “príncipe da Trevas”, que está presente e reina! Quando, pelo amor vencemos a iniquidade e a divisão, as trevas fogem perante a luz, o perdão nos une, nos torna amigos, nos devolve a comunhão originária que contém e atrai a Presença de Jesus, Luz do mundo, no meio de nós. Afinal, onde dois ou três estão unidos no meu nome, Eu estou no meio deles. (Mt 18, 19)

Trecho extraído do livro “A Escola dos Pobres”, Pe. Antonello Cadeddu e Pe. João Henrique, editora Cultor de Livros

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password